O Ministério do Planejamento publicou ontem uma portaria que altera as regras para o sistema de cotas em concursos públicos federais.
negros_alunoCrédito: Divulgação

Agora, será necessário que os candidatos que se declaram negros passem por uma comissão para comprovar se eles podem ou não concorrer ao sistema de cotas.

Desde 2014, há uma lei que reserva 20% das vagas em concursos públicos para candidatos negros.

Segundo o governo, a portaria foi publicada para "padronizar os procedimentos".

A partir de agora, todos os editais para carreiras federais precisarão ter previsão da banca de heteroidentificação, como é chamado esse procedimento de confirmação por terceiros.

No estado de SP, o sistema de cotas aplica fatores de equiparação, com acréscimos percentuais na pontuação final dos candidatos negros.

Na prefeitura, há a previsão para que negros concorram em lista separada, como em âmbito federal, mas não há exigência de ter a banca.


 

negros_alunoCrédito: Divulgação

Agora, será necessário que os candidatos que se declaram negros passem por uma comissão para comprovar se eles podem ou não concorrer ao sistema de cotas.

Desde 2014, há uma lei que reserva 20% das vagas em concursos públicos para candidatos negros.

Segundo o governo, a portaria foi publicada para "padronizar os procedimentos".

A partir de agora, todos os editais para carreiras federais precisarão ter previsão da banca de heteroidentificação, como é chamado esse procedimento de confirmação por terceiros.

No estado de SP, o sistema de cotas aplica fatores de equiparação, com acréscimos percentuais na pontuação final dos candidatos negros.

Na prefeitura, há a previsão para que negros concorram em lista separada, como em âmbito federal, mas não há exigência de ter a banca.