Siticom vai adotar nova postura para melhorar próxima negociação

Arquivo Siticom

Izelda diz que relação com patrões poderá ser diferente em 2013
Izelda diz que relação com patrões poderá ser diferente em 2013
Ganho real de 3,12% foi índice conquistado para os salários dos trabalhadores na construção civil de Chapecó e região. A negociação do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário fechou percentual de 8% de reajuste para uma inflação acumulada de 4,88%. A presidente do Siticom Izelda Oro considerou o aumento “razoável”, porém entende que “está muito abaixo do ideal” para atender as necessidades dos profissionais previstas na Constituição.

O sindicato havia pedido aumento de 10%, mas encontrou resistência junto à classe patronal. Para a sindicalista os argumentos “são infundados” e lamenta não ter conseguido remover os empecilhos. Antecipa, no entanto, que o movimento para a negociação do próximo ano vai começar já no mês de janeiro. “Vamos querer reajuste salarial compatível com o ganho do setor”, disse.

Izelda mostra que o mercado está “superaquecido” e os trabalhadores continuam desvalorizados. O excepcional crescimento da indústria da construção civil justifica “pode ser medido pela infinidade de obras em execução”. Argumenta que os salários “não acompanham essa vertical expansão”. Previne que na próxima negociação o comportamento da construção civil local e nacional “não vai se ignorado”.

Disposição - A dirigente esclarece que é essa a postura defendida pela categoria. Acrescenta que os trabalhadores estão “muito politizados sindicalmente” e querem “valorização salarial e melhores condições de trabalho”. Garante que o Siticom vai à luta “e as consequências são imprevisíveis” para conseguir isso.

Os salários dos trabalhadores da construção civil negociados neste ano estão divididos em seis faixas para as dezenas de categorias que compõem o setor. Os valores estão situados entre R$ 1.350 a R$ 730.