Os metalúrgicos de Osasco e região preparam para esta quinta-feira, 14, uma série de assembleias estendidas que irão parar algumas das principais empresas dos 12 municípios da base territorial do nosso Sindicato no Dia Nacional de Luta, Protestos e Greves.
Metalúrgicos de Osasco e região preparam manifestações para esta sexta-feiraCrédito: Divulgação

Os protestos começam às 6h, em empresas como Cinpal (Taboão da Serra), Meritor (Osasco), Alvenius (Cotia), Budai (Jandira), entre outras.

Os protestos são parte do movimento Brasil Metalúrgico que reúne cerca de 2 milhões de trabalhadores, envolvidos em protestos ao longo do dia em ações que vão deixar claro o repúdio e a disposição de luta da categoria para barrar a aplicação da reforma trabalhista e da Lei da Terceirização e também contra a reforma da Previdência.

O movimento reúne também outros trabalhadores da indústria, todos em Campanha Salarial neste segundo semestre e unidos para defender suas convenções coletivas da destruição que as reformas podem provocar. “Acreditamos na unidade de ação como instrumento de resistência, especialmente, neste momento de campanha salarial em que as Convenções Coletivas são renegociadas”, analisa o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Jorge Nazareno.

Haverá atos em portas de fábrica, movimentos de rua e greves em cidades de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás, entre outras. Em São Paulo a concentração começa no Teatro Municipal, no centro da capital, a partir das 8h, e de lá parte para a Superintendência Regional do Trabalho.

Serviço:

Meritor - assembleia a partir das 6h
Av. João Batista, 825, Centro, Osasco.

Cinpal - assembleia às 7h e às 14h
Av. Paulo Ayres, 240, Vl Iasi, Taboão da Serra.

Metalúrgicos de Osasco e região preparam manifestações para esta sexta-feiraCrédito: Divulgação

Os protestos começam às 6h, em empresas como Cinpal (Taboão da Serra), Meritor (Osasco), Alvenius (Cotia), Budai (Jandira), entre outras.

Os protestos são parte do movimento Brasil Metalúrgico que reúne cerca de 2 milhões de trabalhadores, envolvidos em protestos ao longo do dia em ações que vão deixar claro o repúdio e a disposição de luta da categoria para barrar a aplicação da reforma trabalhista e da Lei da Terceirização e também contra a reforma da Previdência.

O movimento reúne também outros trabalhadores da indústria, todos em Campanha Salarial neste segundo semestre e unidos para defender suas convenções coletivas da destruição que as reformas podem provocar. “Acreditamos na unidade de ação como instrumento de resistência, especialmente, neste momento de campanha salarial em que as Convenções Coletivas são renegociadas”, analisa o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Jorge Nazareno.

Haverá atos em portas de fábrica, movimentos de rua e greves em cidades de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás, entre outras. Em São Paulo a concentração começa no Teatro Municipal, no centro da capital, a partir das 8h, e de lá parte para a Superintendência Regional do Trabalho.

Serviço:

Meritor - assembleia a partir das 6h
Av. João Batista, 825, Centro, Osasco.

Cinpal - assembleia às 7h e às 14h
Av. Paulo Ayres, 240, Vl Iasi, Taboão da Serra.