A categoria metalúrgica de Rio do Sul, de Santa Catarina, participou das eleições do Sindicato dos Metalúrgicos de 5 a 9 de agosto e elegeu com 93,32 % dos votos válidos a chapa liderada pelo companheiro Ewaldo Gramkow, reeleito presidente.
Metalúrgicos de Rio do Sul elegem diretoria com 93,32 % dos votosCrédito: Arquivo

Resultado: de 1762 inscritos, 1378 votaram: 1286 sim (93.32 %), 65 brancos (4.72 %) e 27 nulos (1.96%).

A diretoria eleita terá a partir de 27 de setembro deste ano um mandato até 26 de setembro de 2024. A CNTM, presidida por Miguel Torres, parabeniza a diretoria eleita com a certeza que neste mandato serão conquistados novos e importantes avanços para os trabalhadores metalúrgicos de Rio do Sul.

“A luta de primeiro momento é a resistência à reforma da Previdência Social, pela manutenção do máximo de direitos possível. Vamos permanecer vigilantes e atuantes em defesa da categoria metalúrgica e da classe trabalhadora, com ideologia operária, e lutar para que o nosso sistema confederativo não acabe, pois o grande objetivo do atual governo é minar o movimento sindical”, diz Ewaldo Gramkow.

Metalúrgicos de Rio do Sul elegem diretoria com 93,32 % dos votosCrédito: Arquivo

Resultado: de 1762 inscritos, 1378 votaram: 1286 sim (93.32 %), 65 brancos (4.72 %) e 27 nulos (1.96%).

A diretoria eleita terá a partir de 27 de setembro deste ano um mandato até 26 de setembro de 2024. A CNTM, presidida por Miguel Torres, parabeniza a diretoria eleita com a certeza que neste mandato serão conquistados novos e importantes avanços para os trabalhadores metalúrgicos de Rio do Sul.

“A luta de primeiro momento é a resistência à reforma da Previdência Social, pela manutenção do máximo de direitos possível. Vamos permanecer vigilantes e atuantes em defesa da categoria metalúrgica e da classe trabalhadora, com ideologia operária, e lutar para que o nosso sistema confederativo não acabe, pois o grande objetivo do atual governo é minar o movimento sindical”, diz Ewaldo Gramkow.