Horário flexível é um dos pontos positivos da profissão
moto1Crédito: Sindicato

Recentemente foi criado um sindicato para representar os trabalhadores de aplicativos, que está associado à Central. Resolvemos entrevistar uma trabalhadora para mostrar que as mulheres conquistam cada vez mais espaço entre as profissões.  Eis a entrevista:

Força Sindical – Conte um pouco sobre você.  Seu nome, idade e profissão.

Rosa – Sou Rosa Maria Costa , tenho  48 anos e trabalho pilotando moto há 21 anos, dos quais quatro com aplicativos.

Por favor, conte sua experiência no trabalho. Como mulher, você não tem medo de trabalhar nas ruas em contato com tanta gente? É arriscado?

É uma profissão de risco, minha vida não  depende só de mim.  Como mãe que leva o sustento para casa, minha atenção é  redobrada. Não troco minha vida por um “trampo” que  tenha horário para ser entregue. Sinto enorme respeito pelos motofretistas, meus colegas, e muitos deles, quando veem que sou  mulher, me  parabenizam. Quem trabalha sobre duas rodas está sujeito a tudo.

O que você mais gosta na sua profissão?

Da flexibilidade de  horários, da possibilidade de recusar “trampo” se é para se dirigir a áreas de risco, de trabalhar nos finais de semana, quando eu quiser. Assim, o APP me proporciona o prazer de estar presente nas reuniões da escola do  meu filho, de cuidar dele, se ele ficar febril, posso também conhecer lojas, lugares, saber onde comprar as coisas direto do fabricante .  Isto ajuda no orçamento  familiar.

Pretende continuar trabalhando nesta profissão?

Pretendo continuar  nesta profissão até montar meu negócio. Os clientes do app foram me orientando, dando dicas, que agora vou colocar em prática.  Até o fim deste ano, deixarei de ser  Parceira – é assim que os APPs se referem a nós – para ser cliente.

O que você acha que os trabalhadores da sua categoria devem conquistar?

O registro profissional  no MTE, o Cadastro  Nacional junto ao Detran, o reconhecimento e     a valorização  profissional.

Recentemente foi criado um sindicato dos trabalhadores com aplicativos? O que achou da ideia?

Todo trabalhador  precisa de representação  sindical para a defesa dos seus interesses. Nós que usamos a plataforma dos APPs estamos à deriva.

 

 

moto1Crédito: Sindicato

Recentemente foi criado um sindicato para representar os trabalhadores de aplicativos, que está associado à Central. Resolvemos entrevistar uma trabalhadora para mostrar que as mulheres conquistam cada vez mais espaço entre as profissões.  Eis a entrevista:

Força Sindical – Conte um pouco sobre você.  Seu nome, idade e profissão.

Rosa – Sou Rosa Maria Costa , tenho  48 anos e trabalho pilotando moto há 21 anos, dos quais quatro com aplicativos.

Por favor, conte sua experiência no trabalho. Como mulher, você não tem medo de trabalhar nas ruas em contato com tanta gente? É arriscado?

É uma profissão de risco, minha vida não  depende só de mim.  Como mãe que leva o sustento para casa, minha atenção é  redobrada. Não troco minha vida por um “trampo” que  tenha horário para ser entregue. Sinto enorme respeito pelos motofretistas, meus colegas, e muitos deles, quando veem que sou  mulher, me  parabenizam. Quem trabalha sobre duas rodas está sujeito a tudo.

O que você mais gosta na sua profissão?

Da flexibilidade de  horários, da possibilidade de recusar “trampo” se é para se dirigir a áreas de risco, de trabalhar nos finais de semana, quando eu quiser. Assim, o APP me proporciona o prazer de estar presente nas reuniões da escola do  meu filho, de cuidar dele, se ele ficar febril, posso também conhecer lojas, lugares, saber onde comprar as coisas direto do fabricante .  Isto ajuda no orçamento  familiar.

Pretende continuar trabalhando nesta profissão?

Pretendo continuar  nesta profissão até montar meu negócio. Os clientes do app foram me orientando, dando dicas, que agora vou colocar em prática.  Até o fim deste ano, deixarei de ser  Parceira – é assim que os APPs se referem a nós – para ser cliente.

O que você acha que os trabalhadores da sua categoria devem conquistar?

O registro profissional  no MTE, o Cadastro  Nacional junto ao Detran, o reconhecimento e     a valorização  profissional.

Recentemente foi criado um sindicato dos trabalhadores com aplicativos? O que achou da ideia?

Todo trabalhador  precisa de representação  sindical para a defesa dos seus interesses. Nós que usamos a plataforma dos APPs estamos à deriva.