Ao promover uma nova queda na Taxa Básica de Juros, o governo dá um incentivo para a economia, que vem crescendo em ritmo muito lento. A redução, que acontece pela oitava vez consecutiva, serve de alento para a fraqueza industrial que o País vivencia, uma vez que vem demonstrando dificuldades em apresentar sinais consistentes de crescimento.

É importante que, neste momento, o governo mantenha a política de redução da Taxa Selic para combater a especulação, que nada mais é do que um mecanismo nefasto que inibe a produção, o consumo e a geração de postos de trabalho. Acreditamos que o Copom deveria ser mais ousado.

A Força Sindical, na luta pela redução da Taxa de Juros, manterá uma postura de cobrança junto ao governo para livrar o País da especulação financeira desenfreada, que infelizmente vem drenando enormes quantidades de recursos essenciais que poderiam ser investidos em infraestrutura, educação, saúde, moradia e transporte, que são vitais para o nosso desenvolvimento.

Nossa meta é fortalecer a luta por mais empregos e produção. Queremos juros baixos, valorização do trabalho e desenvolvimento nacional.

Miguel Eduardo Torres,
presidente em exercício da Força Sindical