Em nova rodada de negociações, a Claro avançou muito pouco na proposta para o Acordo Coletivo 2018/2019
negociação salarial claroCrédito: Divulgação

 A reunião ocorreu na quarta-feira, 26 de setembro.

O Sintetel recusou a proposta, pois ela nem repõe as perdas do período e está abaixo das nossas reivindicações. Veja a proposta recusada:

• Reajuste nos salários e pisos de 2,01% a partir de setembro/2018;

•  Reajuste de 2,01% para alimentação e nos demais benefícios em setembro/2018;

•    PPR 2018: pagamento único em março de 2019, elegibilidade de 60 dias e demais critérios permanecem os mesmos de 2017.

NÃO VAMOS PARAR POR AQUI!

Queremos a aplicação da inflação do período (3,64%) mais ganho real nos salários, pisos salariais, alimentação e demais benefícios.
 
Para os trabalhadores oriundos da NET, que pela primeira vez serão representados pelo Sintetel, reivindicamos uma compensação por conta da mudança da data-base de 1º de julho para 1º de setembro.

Quanto ao PPR, continuamos insistindo na redução do prazo de elegibilidade para que, desta forma, mais trabalhadores possam ser contemplados com o programa.
 
A Claro disse que precisará fazer novos estudos e discussões internas para avaliar as reivindicações do Sintetel.  Ela se compromete a agendar uma nova rodada de negociação na primeira quinzena de outubro.

Acompanhe as informações pelo site e pelo Facebook @SintetelSP

negociação salarial claroCrédito: Divulgação

 A reunião ocorreu na quarta-feira, 26 de setembro.

O Sintetel recusou a proposta, pois ela nem repõe as perdas do período e está abaixo das nossas reivindicações. Veja a proposta recusada:

• Reajuste nos salários e pisos de 2,01% a partir de setembro/2018;

•  Reajuste de 2,01% para alimentação e nos demais benefícios em setembro/2018;

•    PPR 2018: pagamento único em março de 2019, elegibilidade de 60 dias e demais critérios permanecem os mesmos de 2017.

NÃO VAMOS PARAR POR AQUI!

Queremos a aplicação da inflação do período (3,64%) mais ganho real nos salários, pisos salariais, alimentação e demais benefícios.
 
Para os trabalhadores oriundos da NET, que pela primeira vez serão representados pelo Sintetel, reivindicamos uma compensação por conta da mudança da data-base de 1º de julho para 1º de setembro.

Quanto ao PPR, continuamos insistindo na redução do prazo de elegibilidade para que, desta forma, mais trabalhadores possam ser contemplados com o programa.
 
A Claro disse que precisará fazer novos estudos e discussões internas para avaliar as reivindicações do Sintetel.  Ela se compromete a agendar uma nova rodada de negociação na primeira quinzena de outubro.

Acompanhe as informações pelo site e pelo Facebook @SintetelSP