“Nesta 1ª rodada de negociação, conseguimos manter a Convenção Coletiva de Trabalho o que já é uma importante vitória da categoria, pois evitamos, desta forma, a precarização dos direitos dos trabalhadores imposta pela reforma trabalhista.
FequimfarCrédito: Fequimfar

Estamos resistindo aos malefícios dessa reforma e fortalecendo as negociações coletivas”, destaca Serginho.

Na manhã desta terça-feira (09), lideranças sindicais da FEQUIMFAR/Força Sindical e FETQUIM/CUT realizaram, de forma unitária, a 1ª rodada de negociação coletiva da Campanha Salarial e Social dos Trabalhadores dos Setores Químico e Plástico, com data-base em 1º de novembro.

Participaram das negociações dirigentes da FEQUIMFAR/Força Sindical, FETQUIM/CUT, Sindicatos filiados e a bancada patronal composta por representantes do Grupo CEAG 10 da FIESP.

Confira a seguir os destaques da proposta patronal:

Reajuste salarial

100% do INPC em todas as faixas salariais, inclusive nos Pisos Salariais.

PLR

Empresas com até 49 trabalhadores – PLR de R$ 1.000,00

Empresas com mais de 49 trabalhadores – PLR de R$ 1.110,00

Grupo de Trabalho para negociação permanente – Continuidade dos Grupos de Trabalho para debates sobre os impactos da reforma trabalhista na Convenção Coletiva de Trabalho.

Cláusulas sociais – Manutenção das demais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho e validade da CCT por 2 anos.

Próximas etapas

Até o dia 22 de outubro, a proposta patronal será avaliada pela categoria junto aos Sindicatos nas bases. No dia 23 de outubro, haverá uma Assembleia Geral na sede da FEQUIMFAR para avaliação final e, se aprovada, a Convenção Coletiva de Trabalho deverá ser assinada na mesma data.

Lideranças sindicais da  FEQUIMFAR/Força Sindical e FETQUIM/CUT brecaram ofensiva patronal em 1ª rodada de negociação coletiva da Campanha Salarial, com data-base em 1º de novembro. De acordo com Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da FEQUIMFAR e 1º secretário da Força Sindical, os trabalhadores conseguiram manter a Convenção Coletiva de Trabalho. “Foi uma importante conquista”.
 

FequimfarCrédito: Fequimfar

Estamos resistindo aos malefícios dessa reforma e fortalecendo as negociações coletivas”, destaca Serginho.

Na manhã desta terça-feira (09), lideranças sindicais da FEQUIMFAR/Força Sindical e FETQUIM/CUT realizaram, de forma unitária, a 1ª rodada de negociação coletiva da Campanha Salarial e Social dos Trabalhadores dos Setores Químico e Plástico, com data-base em 1º de novembro.

Participaram das negociações dirigentes da FEQUIMFAR/Força Sindical, FETQUIM/CUT, Sindicatos filiados e a bancada patronal composta por representantes do Grupo CEAG 10 da FIESP.

Confira a seguir os destaques da proposta patronal:

Reajuste salarial

100% do INPC em todas as faixas salariais, inclusive nos Pisos Salariais.

PLR

Empresas com até 49 trabalhadores – PLR de R$ 1.000,00

Empresas com mais de 49 trabalhadores – PLR de R$ 1.110,00

Grupo de Trabalho para negociação permanente – Continuidade dos Grupos de Trabalho para debates sobre os impactos da reforma trabalhista na Convenção Coletiva de Trabalho.

Cláusulas sociais – Manutenção das demais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho e validade da CCT por 2 anos.

Próximas etapas

Até o dia 22 de outubro, a proposta patronal será avaliada pela categoria junto aos Sindicatos nas bases. No dia 23 de outubro, haverá uma Assembleia Geral na sede da FEQUIMFAR para avaliação final e, se aprovada, a Convenção Coletiva de Trabalho deverá ser assinada na mesma data.

Lideranças sindicais da  FEQUIMFAR/Força Sindical e FETQUIM/CUT brecaram ofensiva patronal em 1ª rodada de negociação coletiva da Campanha Salarial, com data-base em 1º de novembro. De acordo com Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da FEQUIMFAR e 1º secretário da Força Sindical, os trabalhadores conseguiram manter a Convenção Coletiva de Trabalho. “Foi uma importante conquista”.