A direção do SINTAPPI (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Assessoramento, Perícia, Pesquisa e Informação no Estado de Pernambuco)realizou no último dia 31 reunião de negociação com representantes do Sindicato patronal.

Os patrões se negaram a atender a principal reivindicação  que é reajuste de 10%. Na negociação, o patronato ofereceu um índice muito abaixo do
que foi reivindicado pela categoria, o que inviabilizou qualquer possibilidade
de acordo.

O único sinal de evolução nas negociações foi referente ao piso salarial e ao vale alimentação. O “diretor” Luiz Antonio, integrante da bancada patronal, não
é abelha, mas afirma que consegue almoçar com R$ 7,00 ou R$ 8,00
reais. Não é mel, nem abelha, não é??!

Como a direção do SINTAPPI já demonstrou em várias oportunidades, as empresas de arquitetura e engenharia consultiva vivem o melhor momento de toda a sua história, acumulando lucros extraordinários, graças às elevadas taxas de crescimento do País, particularmente aqui no estado de Pernambuco.

Os patrões dizem que isso é passageiro. “É apenas uma bolha”, eles afirmam. Mas isso não importa. Se essa “bolha” estourar no futuro, saberemos como agir. O que importa é que HOJE, OS PATRÕES ESTÃO LUCRANDO RIOS DE
DINHEIRO E SE NEGAM A REAJUSTAR OS SALÁRIOS DOS TRABALHADORES COM JUSTIÇA E DIGNIDADE. Estamos falando de agora, e não de um futuro
incerto.

A “bolha” se existe hoje está cheia de dinheiro, e nas mãos dos patrões. Essa riqueza, é bom lembrar, é fruto do nosso trabalho. É com o nosso suor que os patrões geram seus lucros. Nada mais justo que na hora de dividir uma pequena fração dessa riqueza, eles atendam às reivindicações dos seus empregados.

Neste sentido, a direção do SINTAPPI convoca todos os trabalhadores a participar e apoiar as mobilizações e atos públicos que realizaremos, a partir de agora, em frente às empresas do setor de arquitetura e engenharia consultiva.

Pelo reajuste salarial de 10%.

Pelo respeito à dignidade dos trabalhadores.

Pela manutenção de todas as conquistas.

(Publicado no
Boletim do Sindicato)