Jorge Toledo

“Nossa categoria hoje atinge cerca de 50 mil trabalhadores e nossa base necessita de apoio moral e de trabalho conjunto com entidades de nível superior, como a Força Sindical”, completou.

O vice-presidente (Políticas Públicas) da Força RJ, Marco Antonio Lagos de Vasconcellos – o Marquinho da Força, ressaltou que a Força Rio de Janeiro está em uma linha crescente neste ano. “Temos mais sindicatos em fase de negociação para se filiarem à Força Sindical. O Sindicato de Asseio e Conservação é muito atuante na luta pelos direitos dos seus representados e este é um fator importantíssimo para agregar ainda maior confiabilidade à nossa Central”, assinalou Marquinho.

O presidente Francisco Dal Prá salientou que a Força Sindical precisa de entidades combativas e compromissadas com a causa dos trabalhadores, lembrou que não tínhamos, até então, esse segmento em nossos quadros de filiados e desejou boas vindas ao mais recente filiado. “Com certeza, será mais um braço de ação na política sindical em nosso estado, o que só fortalece a luta por melhores condições de trabalho e de vida para os trabalhadores do Rio de Janeiro”, arrematou Dal Prá.