O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada do Estado de São Paulo deverá fechar acordo da Convenção Coletiva até a próxima semana. Segundo Vilmar Gomes dos Santos, presidente da entidade, a reivindicação nesta data-base (1º de maio) era de reajuste salarial de 14%.

“Os patrões oferecem 10% agora e mais 1% em novembro. A proposta foi rejeitada pelos trqabalhadores”, informou Santos. Foi instaurado dissídio , mas a reunião de conciliação do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) foi suspensa a pedido dos patrões que vão apresentar novo índice.

Santos afirmou que o acordo pode ser 11% de reajuste; piso de R$ 871,20 para todo o Estado, pagamento de 100% de hora-extra e sem banco de horas.
A categoria tem 95 mil trabalhadores no Estado SP.

“Os patrões oferecem 10% agora e mais 1% em novembro. A proposta foi rejeitada pelos trqabalhadores”, informou Santos. Foi instaurado dissídio , mas a reunião de conciliação do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) foi suspensa a pedido dos patrões que vão apresentar novo índice.

Santos afirmou que o acordo pode ser 11% de reajuste; piso de R$ 871,20 para todo o Estado, pagamento de 100% de hora-extra e sem banco de horas.
A categoria tem 95 mil trabalhadores no Estado SP.