O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP) chegou demonstrando força política aos seus 75 anos de história, comemorados na manhã do último dia 16 de junho, no auditório de sua sede localizada na Rua Conde de Sarzedas, 286, região central da Capital paulista.

Tanto é que, na solenidade, estiveram presentes grandes nomes públicos de São Paulo e do Brasil, devidamente capitaneados pelo governador Geraldo Alckmin. Alguns deles: Sidney Beraldo, secretário estadual da Casa Civil; José Aníbal, secretário estadual de Energia; Davi Zaia, secretário estadual das Relações do Trabalho; Alda Marco Antonio, vice-prefeita de São Paulo; Bebeto Haddad, secretário de Esportes do Município de São Paulo e Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, que é deputado federal e presidente da Força Sindical.

Além deles, o evento contou com a participação de dezenas de lideranças sindicais, deputados, vereadores e representantes do empresariado e de ativistas líderes de comunidade.

O governador Geraldo Alckmin, em seu discurso, avaliou que os trabalhadores da Construção Civil foram decisivos para transformar São Paulo numa das maiores metrópoles do mundo. Disse que o setor passa por um momento de grande aquecimento e que determinou, através do programa Via Rápida, a realização de cursos de qualificação profissional para a categoria.

José Aníbal parabenizou o Sindicato por sua trajetória de lutas e, também, pelos oito aumentos reais de salários obtidos de forma consecutiva e com valor crescente, nos últimos oito anos. E lembrou: “Isso foi possível, também, porque nós acabamos com o dragão da inflação”.

Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, convocou os trabalhadores para uma manifestação que as centrais pretendem fazer na Avenida Paulista no próximo dia 3 de agosto, coincidindo com a reabertura de trabalhos do Congresso Nacional.

“Vamos colocar 100 mil pessoas na Paulista para deixar clara a nossa luta pela redução da jornada de trabalho, o fim do fator previdenciário e a regularização dos terceirizados, que hoje são tratados como pessoas de segunda classe”. Afirmou.

Voto de Júbilo

Durante a festa de 75 anos, os vereadores Cláudio Prado e Police Neto, entregaram ao Ramalho da Construção um  voto de “Júbilo e Congratulações”.

A iniciativa foi de Cláudio Prado. E obteve unanimidade dos vereadores da Câmara Municipal.

Discurso do Ramalho

Em seu pronunciamento, Ramalho da Construção contou um pouco da história do Sindicato por ele liderado, salientando, em especial, o período negro da ditadura, que cassou várias lideranças da entidade.

Em seguida, enumerou as conquistas da categoria nos últimos anos, com sucessivos aumentos reais de salário e inúmeras e expressivas vitórias no campo social, entre elas: café da manhã reforçado, vale-alimentação, lanche da tarde, higiene nos canteiros de obras, seguro de vida, segurança, fornecimento de cesta básica no valor de R$ 140,00, retirada mediante a cartão magnético, com o trabalhador podendo fazer o uso da quantia como bem entender.

Ramalho reconheceu que as relações entre o capital e o trabalho no setor da Construção Civil vêm melhorando gradativamente. E que a luta maior, de momento, é a de acabar com as tarefas, método pelo qual alguns empresários pagam o trabalhador por fora do holerite, sonegando impostos ao governo e prejudicando o profissional para efeito de 13º salário, férias, FGTS, Previdência e aposentadoria.

Vale ressaltar que, sob a influência do Sintracon-SP, estão cerca de 400 mil trabalhadores.