Os Servidores Municipais de Guarulhos, segunda maior cidade do Estado de São Paulo, param e protestam quarta, dia 22, por reajuste salarial. O funcionalismo rejeitou, em três assembleias, a proposta do governo, cujo índice sequer repõe a inflação.
Greve Servidores de GuarulhosCrédito: Arquivo

A mobilização é conduzida pelo Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública Municipal de Guarulhos (Stap), filiado à Força Sindical. A categoria, com cerca de 25 mil integrantes, reivindica reajuste pelo Índice do Custo de Vida do Dieese.

A proposta do Executivo é 2% parcelados: 1% em maio, 0,5% em setembro e 0,5% em novembro, além de reajuste no vale-refeição e na cesta básica pelo ICV. A primeira proposta do governo congelava salários, mas concedia aumentos na cesta (17%) e vale (ou VA) de 10%.

Pedro - O presidente do Sindicato, Pedro Zanotti Filho, afirma: "A base é quem decide e dita os rumos da luta. Nossa meta é uma grande paralisação dia 22 e um protesto forte no Paço Municipal às 10 horas".

Ato - Quarta, às 10 horas, no Paço Municipal, no Bom Clima.

Greve Servidores de GuarulhosCrédito: Arquivo

A mobilização é conduzida pelo Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública Municipal de Guarulhos (Stap), filiado à Força Sindical. A categoria, com cerca de 25 mil integrantes, reivindica reajuste pelo Índice do Custo de Vida do Dieese.

A proposta do Executivo é 2% parcelados: 1% em maio, 0,5% em setembro e 0,5% em novembro, além de reajuste no vale-refeição e na cesta básica pelo ICV. A primeira proposta do governo congelava salários, mas concedia aumentos na cesta (17%) e vale (ou VA) de 10%.

Pedro - O presidente do Sindicato, Pedro Zanotti Filho, afirma: "A base é quem decide e dita os rumos da luta. Nossa meta é uma grande paralisação dia 22 e um protesto forte no Paço Municipal às 10 horas".

Ato - Quarta, às 10 horas, no Paço Municipal, no Bom Clima.