O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Uberlândia (SINDTTRANS) participou na última segunda-feira (09) de reunião no Ministério Público do Trabalho para posicionar o órgão sobre a situação que desencadeou em greve por parte dos trabalhadores da empresa Polimix.
SindttransCrédito: Sindicato
A greve, que teve início no final do mês de junho, teve duração de 17 dias. 
 
De acordo com o presidente do SINDTTRANS, Célio Moreira, a entidade e a empresa chegaram em um acordo parcial, porém persiste o conflito. “A empresa não compreende que é necessário que haja uma relação harmônica entre o capital e o trabalho. Não chegamos em um consenso, pois a empresa se opõe que conste no acordo coletivo a presença do delegado sindical, o que já está determinado inclusive na Convenção Coletiva de Trabalho. O papel do delegado é garantir que sejam cumpridos os direitos trabalhistas na empresa”, disse ele.
 
Célio adiantou que, caso a empresa não aceite a presença do delegado sindical, será protocolado uma reclamação no MPT para a instauração de inquérito civil para apurar crime contra a organização do trabalho.  
 
 
 
 
 
SindttransCrédito: Sindicato
A greve, que teve início no final do mês de junho, teve duração de 17 dias. 
 
De acordo com o presidente do SINDTTRANS, Célio Moreira, a entidade e a empresa chegaram em um acordo parcial, porém persiste o conflito. “A empresa não compreende que é necessário que haja uma relação harmônica entre o capital e o trabalho. Não chegamos em um consenso, pois a empresa se opõe que conste no acordo coletivo a presença do delegado sindical, o que já está determinado inclusive na Convenção Coletiva de Trabalho. O papel do delegado é garantir que sejam cumpridos os direitos trabalhistas na empresa”, disse ele.
 
Célio adiantou que, caso a empresa não aceite a presença do delegado sindical, será protocolado uma reclamação no MPT para a instauração de inquérito civil para apurar crime contra a organização do trabalho.