Todas as obras de Salvador estarão paralisadas nesta terça-feira (25)

Os trabalhadores da Construção Pesada da Bahia, representados pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada e Montagem Industrial (Sintepav), lança nesta terça-feira (25), às 08h, com forte mobilização e reunindo milhares de trabalhadores, a Campanha Salarial 2014 da categoria. Após concentração dos trabalhadores em frente a Praça do Campo da Pólvora, localizada próximo a Sede do sindicato, os trabalhadores sairão em caminhada, em direção ao Campo Grande até a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE).

O lançamento da Campanha Salarial 2014 contará com a participação de trabalhadores (as) da Construção Pesada, das diversas obras de Salvador, tais como Metrô, Sistema Viário do Imbuí, obras de duplicação da Avenida Pinto de Aguiar, Via Expressa, Via Bahia, Consórcio 093, Obras de Saneamento Básico, Montagem Industrial, Obras de Terraplanagem, dentre outras. Na Bahia, são 35 mil trabalhadores distribuídos em 300 obras, com 443 empresas, em obras como a Ferrovia de Integração Oeste Leste (FIOL), Estaleiro Enseada Paraguaçu, Parques Eólicos, entre outras, com investimentos que chegam a aproximadamente R$ 63 bilhões de reais.

O Sintepav não aceitará argumentos ou teses regressivas propostas pelo patronato. A construção entre os setores da atividade econômica brasileira tem obtido repetidos êxitos, com crescimento a uma taxa média de 5% com lastro econômico e financeiro para atender as reivindicações da categoria. As empresas que eram só construtoras expandiram seus negócios com carteiras de projetos importantes, unidades de negócios dos mais variados possíveis, os que as tornaram mais robustas e sendo grandes multinacionais brasileiras.

Nos últimos anos, as construtoras têm crescido exponencialmente. O aumento representativo do setor da construção no PIB brasileiro é significativo, indicando a riqueza gerada. Na série histórica de 2005 até 2013, a cadeia produtiva da construção movimentou bilhões de reais, ano a ano, sem que houvesse uma tradução real deste crescimento em termos de salários e benefícios para os trabalhadores.

Assim, considerando tais circunstâncias e o novo ambiente político, econômico e social brasileiro, os trabalhadores querem uma agenda de negociação que seja distributiva da riqueza e que valorize socialmente o trabalho. Entendemos o nosso papel e desejamos uma negociação justa, equilibrada e que resulte no avanço do direito.

Negociação com respeito à dignidade dos trabalhadores é o que o SINTEPAV levará à mesa de negociações.

Principais reivindicações:
Reajuste Salarial de 15%
Cesta básica R$ 350,00
Horas extras 70% de segunda a sexta, 100% aos sábados e 130% aos domingos e feriados
Redução da Jornada de Trabalho para 40 horas semanais sem redução de salário
Assistência Médica para empregados e dependentes
PLR
Segurança e Saúde no Trabalho
Negociação da Tabela salarial por função