O Sindicato dos Hoteleiros de São Paulo (Sinthoresp) ingressou com ação na 1ª Vara do Trabalho de Barueri e obteve antecipação de tutela, em face da empresa McDonald’s. Agora, foi designada audiência para oitiva de testemunhas de ambas as partes, entre elas o diretor de RH da Arcos Dourados do Brasil, Marcelo de Freitas Nóbrega.
mc donaldosCrédito: Arquivo

Os fatos – O Departamento Jurídico do Sindicato constatou que o cômputo dos lançamentos no holerite sempre reduz o valor a receber do empregado. Questionada na Justiça, a empresa alegou problema no “layout”, ou seja, na formatação do recibo de pagamento dos empregados.

O diretor-responsável pela Regional de Osasco, Honorato Soares de Moura (Branco), esclarece. “Não é questão de layout, não. Esse problema é antigo e o trabalhador está sendo lesado”. Segundo Branco, “uma vez comprovadas as diferenças oficialmente pela Justiça, nós vamos cobrar a reparação de tudo o que é devido”.

Advogada – A dra. Ethel Remorini Pantuzo atua no processo (0002933-55.2014.02.0201). Ela é firme em sua fala: “Esses erros no holerite acontecem sempre na mesma direção, ou seja, em prejuízo do empregado. Exigimos que se coloque um fim nisso, como também se garanta aos trabalhadores receber os valores atrasados. A empresa tem ao longo dos anos aperfeiçoado sua conduta, corrigindo desvios. Esperamos que tome a mesma atitude nesse caso, resolvendo o problema de forma eficaz”.

mc donaldosCrédito: Arquivo

Os fatos – O Departamento Jurídico do Sindicato constatou que o cômputo dos lançamentos no holerite sempre reduz o valor a receber do empregado. Questionada na Justiça, a empresa alegou problema no “layout”, ou seja, na formatação do recibo de pagamento dos empregados.

O diretor-responsável pela Regional de Osasco, Honorato Soares de Moura (Branco), esclarece. “Não é questão de layout, não. Esse problema é antigo e o trabalhador está sendo lesado”. Segundo Branco, “uma vez comprovadas as diferenças oficialmente pela Justiça, nós vamos cobrar a reparação de tudo o que é devido”.

Advogada – A dra. Ethel Remorini Pantuzo atua no processo (0002933-55.2014.02.0201). Ela é firme em sua fala: “Esses erros no holerite acontecem sempre na mesma direção, ou seja, em prejuízo do empregado. Exigimos que se coloque um fim nisso, como também se garanta aos trabalhadores receber os valores atrasados. A empresa tem ao longo dos anos aperfeiçoado sua conduta, corrigindo desvios. Esperamos que tome a mesma atitude nesse caso, resolvendo o problema de forma eficaz”.