“Agem sempre como se o trabalhador não existisse, como se não fosse um agente importante no processo produtivo e de transporte, como se não tivesse opinião”.
greve estivadoresCrédito: Paulo Passos
Categoria tem data-base em março

A reação é do diretor social e de imprensa do sindicato dos estivadores de Santos, Sandro Olímpio da Silva ‘Cabeça’, sobre o anúncio de regionalização do porto.

A medida foi aventada pelo secretário nacional de portos, Luiz Otávio Campos, na manhã desta terça-feira (11), no evento Santos Export Brasil, promovido pelo jornal ‘A Tribuna’.

“Os estivadores concordam. É reivindicação antiga. O que nos preocupa é o curto prazo proposto para implantação da medida e a falta de consulta aos sindicatos”, reclama Sandro.

“Temos propostas para garantir e ampliar o mercado de trabalho para desempregados das cidades da região. Mas isso é o de menos para os empresários e autoridades”, critica.

O secretário nacional sugeriu que a gestão do porto seja regionalizada em 120 dias. Para ele, isso depende apenas de uma solicitação do governo estadual.

Prontamente, o governador Márcio França (PSB) se prontificou a fazer a solicitação. “Passamos anos propondo isso e agora querem fazer a toque de caixa”, diz Sandro.

“Esperamos que nos ouçam”, pondera. “Temos reivindicações para o maior porto da América Latina. Nosso sindicato tem dado exemplo de como diminuir o desemprego. Abrimos cadastros na estiva”.
 

greve estivadoresCrédito: Paulo Passos
Categoria tem data-base em março

A reação é do diretor social e de imprensa do sindicato dos estivadores de Santos, Sandro Olímpio da Silva ‘Cabeça’, sobre o anúncio de regionalização do porto.

A medida foi aventada pelo secretário nacional de portos, Luiz Otávio Campos, na manhã desta terça-feira (11), no evento Santos Export Brasil, promovido pelo jornal ‘A Tribuna’.

“Os estivadores concordam. É reivindicação antiga. O que nos preocupa é o curto prazo proposto para implantação da medida e a falta de consulta aos sindicatos”, reclama Sandro.

“Temos propostas para garantir e ampliar o mercado de trabalho para desempregados das cidades da região. Mas isso é o de menos para os empresários e autoridades”, critica.

O secretário nacional sugeriu que a gestão do porto seja regionalizada em 120 dias. Para ele, isso depende apenas de uma solicitação do governo estadual.

Prontamente, o governador Márcio França (PSB) se prontificou a fazer a solicitação. “Passamos anos propondo isso e agora querem fazer a toque de caixa”, diz Sandro.

“Esperamos que nos ouçam”, pondera. “Temos reivindicações para o maior porto da América Latina. Nosso sindicato tem dado exemplo de como diminuir o desemprego. Abrimos cadastros na estiva”.