Trabalhadores em Edifícios e Condomínios protestam em todo país contra reforma da PrevidênciaCrédito: Arquivo Conatec

Em um ato histórico, centenas de trabalhadores lotaram as ruas do país para manifestação articulada contra a reforma da Previdência
 

Trabalhadores em Edifícios e Condomínios de diversos estados brasileiros foram às ruas, nesta quarta-feira (15), pressionar o Governo Federal e os parlamentares para retirada da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, que prevê reformar a Previdência Social e extinguir diversos direitos dos trabalhadores.

Em um momento histórico, a categoria se mobilizou de forma articulada e pacífica para chamar a atenção da sociedade para os malefícios dessa reforma, dentre eles o aumento do tempo de contribuição, que passaria a ser 49 anos para homens e mulheres.
Em São Paulo, o Sindifícios distribuiu panfletos a todos os passantes com detalhes sobre a reforma da Previdência. O principal objetivo do Sindicato é manter os direitos dos trabalhadores e garantir que toda sociedade esteja informada sobre a proposta.

Em Recife, centenas de manifestantes foram às ruas protestar.  Com direito a carro de som e bandeiras, o Sieec-PE chamou atenção dos pernambucanos para as inverdades que estão sendo mostradas pelo Governo sobre a Previdência Social.

O diretor do Sindicato, Adilson Ramos, assegura que o protesto também foi palco para falar sobre o enfraquecimento do movimento sindical. “É uma maneira de querer nos calar com perda desta taxa assistencial do movimento sindical. Vamos ter que fechar as portas dos sindicatos e entregar as chaves a eles”, denunciou.

O Rio de Janeiro também não ficou fora dos protestos. Os trabalhadores em edifícios e condomínios fecharam o Leblon e angariaram o apoio de diversas pessoas que passavam pelo local. Os diretores do SEEMRJ também foram ao Centro do Rio na luta pelos direitos dos trabalhadores.

No interior de São Paulo, os representantes do Sintracon endossaram os protestos. Representados pelo dirigente Marcelo Cássio, a categoria compareceu às manifestações no centro da cidade.

O presidente da Conatec, Paulo Ferrari, comemora o engajamento de toda categoria. “Foi muito importante ver a categoria tão unida e envolvida em na derrubada de um projeto que nem deveria ter sido apresentado. A Conatec está acompanhando de perto todo processo e reforça postura contrária à reforma da Previdência”, assegura.

As mobilizações foram convocadas pela Força Sindical e aconteceram nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal.  A previsão é que outros atos venham acontecer até a rejeição da PEC.  
 

Trabalhadores em Edifícios e Condomínios protestam em todo país contra reforma da PrevidênciaCrédito: Arquivo Conatec

Em um ato histórico, centenas de trabalhadores lotaram as ruas do país para manifestação articulada contra a reforma da Previdência
 

Trabalhadores em Edifícios e Condomínios de diversos estados brasileiros foram às ruas, nesta quarta-feira (15), pressionar o Governo Federal e os parlamentares para retirada da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, que prevê reformar a Previdência Social e extinguir diversos direitos dos trabalhadores.

Em um momento histórico, a categoria se mobilizou de forma articulada e pacífica para chamar a atenção da sociedade para os malefícios dessa reforma, dentre eles o aumento do tempo de contribuição, que passaria a ser 49 anos para homens e mulheres.
Em São Paulo, o Sindifícios distribuiu panfletos a todos os passantes com detalhes sobre a reforma da Previdência. O principal objetivo do Sindicato é manter os direitos dos trabalhadores e garantir que toda sociedade esteja informada sobre a proposta.

Em Recife, centenas de manifestantes foram às ruas protestar.  Com direito a carro de som e bandeiras, o Sieec-PE chamou atenção dos pernambucanos para as inverdades que estão sendo mostradas pelo Governo sobre a Previdência Social.

O diretor do Sindicato, Adilson Ramos, assegura que o protesto também foi palco para falar sobre o enfraquecimento do movimento sindical. “É uma maneira de querer nos calar com perda desta taxa assistencial do movimento sindical. Vamos ter que fechar as portas dos sindicatos e entregar as chaves a eles”, denunciou.

O Rio de Janeiro também não ficou fora dos protestos. Os trabalhadores em edifícios e condomínios fecharam o Leblon e angariaram o apoio de diversas pessoas que passavam pelo local. Os diretores do SEEMRJ também foram ao Centro do Rio na luta pelos direitos dos trabalhadores.

No interior de São Paulo, os representantes do Sintracon endossaram os protestos. Representados pelo dirigente Marcelo Cássio, a categoria compareceu às manifestações no centro da cidade.

O presidente da Conatec, Paulo Ferrari, comemora o engajamento de toda categoria. “Foi muito importante ver a categoria tão unida e envolvida em na derrubada de um projeto que nem deveria ter sido apresentado. A Conatec está acompanhando de perto todo processo e reforça postura contrária à reforma da Previdência”, assegura.

As mobilizações foram convocadas pela Força Sindical e aconteceram nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal.  A previsão é que outros atos venham acontecer até a rejeição da PEC.