O debate no Senado contou com a participação de Sergio Luiz Leite, 1º secretário da Força
Serginho participa de debate na subcomissão do SenadoCrédito: Arquivo Força
A audiência pública faz parte do ciclo de debates sobre o novo Estatuto do Trabalho, de iniciativa do senador Paulo Paim (PT-RS) e teve a participação do 1º secretário da Força Sergio Luiz Leite, Serginho. "Com a reforma trabalhista, a terceirização foi ampliada, sem garantias para os trabalhadores! A precarização poderá avançar ainda mais! Precisamos estabelecer limites para a terceirização, com garantias de direitos e de representação sindical", declarou.

Dados divulgados pelo IBGE indicam que a taxa de desemprego no Brasil caiu para 12,4% no trimestre encerrado em junho, mas ainda atinge 13 milhões de brasileiros. Os dados também revelam que a queda da taxa de desemprego se deve pela geração de postos informais e pelo grande número de brasileiros que já não procuram mais por emprego.

Foram convidados para a reunião o representante da Coordenadoria Nacional de Combate às Irregularidades Trabalhistas na Administração Pública (Conap/MPT), Claudio Gadelha, a vice-presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Noemia Aparecida Porto, o presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Ângelo Fabiano da Costa, o presidente da Federação Nacional dos Servidores dos Órgãos Públicos Federais de Fiscalização, Investigação, Regulação e Controle (Fenafirc), Ogib de Carvalho Filho.
 
Também foram convidados representantes dos sindicatos Sinait, CUT, Intersindical, Mati Sul, e Nova Central Sindical dos Trabalhadores.
 
 
 
Serginho participa de debate na subcomissão do SenadoCrédito: Arquivo Força
A audiência pública faz parte do ciclo de debates sobre o novo Estatuto do Trabalho, de iniciativa do senador Paulo Paim (PT-RS) e teve a participação do 1º secretário da Força Sergio Luiz Leite, Serginho. "Com a reforma trabalhista, a terceirização foi ampliada, sem garantias para os trabalhadores! A precarização poderá avançar ainda mais! Precisamos estabelecer limites para a terceirização, com garantias de direitos e de representação sindical", declarou.

Dados divulgados pelo IBGE indicam que a taxa de desemprego no Brasil caiu para 12,4% no trimestre encerrado em junho, mas ainda atinge 13 milhões de brasileiros. Os dados também revelam que a queda da taxa de desemprego se deve pela geração de postos informais e pelo grande número de brasileiros que já não procuram mais por emprego.

Foram convidados para a reunião o representante da Coordenadoria Nacional de Combate às Irregularidades Trabalhistas na Administração Pública (Conap/MPT), Claudio Gadelha, a vice-presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Noemia Aparecida Porto, o presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Ângelo Fabiano da Costa, o presidente da Federação Nacional dos Servidores dos Órgãos Públicos Federais de Fiscalização, Investigação, Regulação e Controle (Fenafirc), Ogib de Carvalho Filho.
 
Também foram convidados representantes dos sindicatos Sinait, CUT, Intersindical, Mati Sul, e Nova Central Sindical dos Trabalhadores.