A declaração é de Vladimir Derbin, presidente da Federação dos Sindicatos de São Petersburgo e região de Leningrado, da Rússia
ADS - RussoCrédito: Jaélcio Santana

Ele integrou uma delegação de sindicalistas russos que esteve na reunião da ADS, em São Paulo, como observador. Nesta entrevista, Derbin fala sobre o contato com o movimento sindical brasileiro.

Força Sindical – Como foi o contato de sua delegação com os sindicatos?

Vladimir Derbin - Eu queria cumprimentar os companheiros e companheiras. Faço parte da delegação russa que está visitando a Força Sindical do Brasil, fizemos várias reuniões com sindicatos da Central em São Paulo e no Rio de Janeiro, com diversas categorias. Agora estamos entendendo muito melhor a situação dos sindicatos brasileiros.Sobre esse encontro da ADS ( Alternativa Democrática Sindical) temos pouca informação e estamos aqui conhecendo a entidade e seus representantes. Estamos como observadores.

Qual opinião sobre as reformas que atingem os trabalhadores, no Brasil em países da América Latina e em países como a França?

A respeito dos direitos trabalhistas, realmente este momento é difícil, mas não é o único na história. Em toda história do movimento sindical houve tentativas de diminuir os direitos dos trabalhadores. Para resolver esse problema, os trabalhadores de  cada país tentam desenvolver suas políticas, mas também temos que pensar algumas ações com o movimento sindical internacional unido. A Rússia passou grandes dificuldades em relação aos direitos trabalhistas na época de transição do sistema soviético para o capitalismo. Era muito difícil para os trabalhadores. Na Rússia não se falava nos salários, mas na questão da sobrevivência, da alimentação necessária. Então os sindicatos têm que se fortalecer também.


 

ADS - RussoCrédito: Jaélcio Santana

Ele integrou uma delegação de sindicalistas russos que esteve na reunião da ADS, em São Paulo, como observador. Nesta entrevista, Derbin fala sobre o contato com o movimento sindical brasileiro.

Força Sindical – Como foi o contato de sua delegação com os sindicatos?

Vladimir Derbin - Eu queria cumprimentar os companheiros e companheiras. Faço parte da delegação russa que está visitando a Força Sindical do Brasil, fizemos várias reuniões com sindicatos da Central em São Paulo e no Rio de Janeiro, com diversas categorias. Agora estamos entendendo muito melhor a situação dos sindicatos brasileiros.Sobre esse encontro da ADS ( Alternativa Democrática Sindical) temos pouca informação e estamos aqui conhecendo a entidade e seus representantes. Estamos como observadores.

Qual opinião sobre as reformas que atingem os trabalhadores, no Brasil em países da América Latina e em países como a França?

A respeito dos direitos trabalhistas, realmente este momento é difícil, mas não é o único na história. Em toda história do movimento sindical houve tentativas de diminuir os direitos dos trabalhadores. Para resolver esse problema, os trabalhadores de  cada país tentam desenvolver suas políticas, mas também temos que pensar algumas ações com o movimento sindical internacional unido. A Rússia passou grandes dificuldades em relação aos direitos trabalhistas na época de transição do sistema soviético para o capitalismo. Era muito difícil para os trabalhadores. Na Rússia não se falava nos salários, mas na questão da sobrevivência, da alimentação necessária. Então os sindicatos têm que se fortalecer também.