Comissão de Normas da OIT inclui Brasil na lista dos casos que serão avaliados de suspeitas de violações de convenções trabalhistas
oitCrédito: Arquivo Força

O secretário nacional de Relações Internacionais da Força Sindical, e secretário-geral da ADS (Alternativa Democrática Sindical), Nilton Souza da Silva, Neco, disse que é um absurdo o documento que o governo brasileiro apresentou na Comissão de Normas da OIT (Organização Internacional do Trabalho), usando como argumento que o Fórum Nacional do Trabalho referendou a nova legislação trabalhista.

“Isto é mentira. As discussões que aconteceram no Fórum Nacional do Trabalho não foram avante porque os empresários não concordaram com um dos principais temas, que era a instituição do delegado sindical no local de trabalho, com estabilidade no emprego, além de  outros avanços”, declarou Neco, que comanda a comitiva da Força na 107ª Conferência Internacional do Trabalho da OIT,  que está sendo realizada em Genebra.

A Comissão de Normas da OIT incluiu o Brasil na lista dos casos que serão avaliados de suspeitas de violações de convenções trabalhistas. O que levou o Brasil a fazer parte da lista é a reforma trabalhista, considerada como potencialmente capaz de violar convenções internacionais.

107ª Conferência Internacional  do Trabalho

A secretária nacional de Direitos Humanos, Ruth Coelho Monteiro, enviou o seguinte relato:
“Um convênio, complementado por uma recomendação, foi aprovado em primeira instância nos acordos que a Comissão Normativa sobre Violência e Assédio no Mundo do Trabalho, na 107ª CIT (Conferência Internacional do Trabalho), que está sendo realizada em Genebra. Em 2019 se dará a segunda e definitiva discussão sobre este tema.

Esta é uma grande primeira vitória para trabalhadores e trabalhadoras do mundo, que vêm impulsionando este tema há vários anos. Com a maioria de governos a favor, depois de uma larga discussão sobre a primeira parte do conteúdo, alcançamos uma solução, e finalmente esta decisão chegou no último sábado.

Convidamos todos(as) a lerem as conclusões que foram feitas até agora na Comissão Normativa sobre o tema “Violência e Assédio no Mundo do Trabalho”.

O documento se encontra em espanhol no seguinte link:
 http://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---ed_norm/---relconf/documents/meetingdocument/wcms_631318.pdf

 

oitCrédito: Arquivo Força

O secretário nacional de Relações Internacionais da Força Sindical, e secretário-geral da ADS (Alternativa Democrática Sindical), Nilton Souza da Silva, Neco, disse que é um absurdo o documento que o governo brasileiro apresentou na Comissão de Normas da OIT (Organização Internacional do Trabalho), usando como argumento que o Fórum Nacional do Trabalho referendou a nova legislação trabalhista.

“Isto é mentira. As discussões que aconteceram no Fórum Nacional do Trabalho não foram avante porque os empresários não concordaram com um dos principais temas, que era a instituição do delegado sindical no local de trabalho, com estabilidade no emprego, além de  outros avanços”, declarou Neco, que comanda a comitiva da Força na 107ª Conferência Internacional do Trabalho da OIT,  que está sendo realizada em Genebra.

A Comissão de Normas da OIT incluiu o Brasil na lista dos casos que serão avaliados de suspeitas de violações de convenções trabalhistas. O que levou o Brasil a fazer parte da lista é a reforma trabalhista, considerada como potencialmente capaz de violar convenções internacionais.

107ª Conferência Internacional  do Trabalho

A secretária nacional de Direitos Humanos, Ruth Coelho Monteiro, enviou o seguinte relato:
“Um convênio, complementado por uma recomendação, foi aprovado em primeira instância nos acordos que a Comissão Normativa sobre Violência e Assédio no Mundo do Trabalho, na 107ª CIT (Conferência Internacional do Trabalho), que está sendo realizada em Genebra. Em 2019 se dará a segunda e definitiva discussão sobre este tema.

Esta é uma grande primeira vitória para trabalhadores e trabalhadoras do mundo, que vêm impulsionando este tema há vários anos. Com a maioria de governos a favor, depois de uma larga discussão sobre a primeira parte do conteúdo, alcançamos uma solução, e finalmente esta decisão chegou no último sábado.

Convidamos todos(as) a lerem as conclusões que foram feitas até agora na Comissão Normativa sobre o tema “Violência e Assédio no Mundo do Trabalho”.

O documento se encontra em espanhol no seguinte link:
 http://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---ed_norm/---relconf/documents/meetingdocument/wcms_631318.pdf