As ações serão desenvolvidas em 2018
 Força define ações na área de saúde e segurançaCrédito: Arquivo Força

Em reunião realizada na Força Sindical, a Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho da Central, fez um balanço das atividades desenvolvidas em 2017. Em destaque nessa avaliação está a Plenária Nacional de Saúde do Trabalhador, que antecedeu o 8º Congresso da Central ocorrido no mês de junho, e subsidiou o documento final do Congresso sobre a temática de saúde do trabalhador. Também se destacou a realização do seminário preparatório para a 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, para todos os presentes o ano de 2017, que foi um ano de muitas ações em defesa da saúde do trabalhador, pois os reflexos do desmonte do Ministério do Trabalho e da Fundacentro, a precarização dos ambientes e processo de trabalho em consequência da terceirização tem gerado um aumento nos acidentes e doenças do trabalho.

Segundo Arnaldo Gonçalves, secretário de Saúde e Segurança da Central, para o ano de 2018, definiu-se nessa reunião reforçar junto às entidades filiadas a aplicação do Plano Nacional de Saúde do Trabalhador da Força Sindical, pois o plano aprovado no 8º Congresso da Central, já apresenta diversas atividades e ações que promovam o Trabalho Decente. Essas ações e atividades devem ser desenvolvidas pela Central através de sua secretaria nacional de segurança e saúde no trabalho, suas instâncias estaduais e suas entidades filiadas, com objetivo de garantir o ambiente e processo de trabalho seguro e saudável a todos trabalhadores e trabalhadoras.

As ações de promoção da saúde do trabalhador para 2018, já vem sendo reforçada com as resoluções da 1º Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, realizada nos dias 27e 28 de fevereiro e 1 e 2 de março da qual a Central se fez presente, como também participamos de sua aprovação no Conselho Nacional de Saúde, na comissão organizadora e comissão de comunicação e mobilização. A próxima atividade que está sendo organizada pela Força Sindical e demais Centrais Sindicais é a realização de um grande manifesto no dia 28 de abril, essa data é um dia mundial de reflexão sobre os acidentes e doenças do trabalho.

As entidades presente entendem que diante da conjuntura nacional que reflete as dificuldades do movimento sindical, as ações de promoção e prevenção em saúde do trabalhador deve ser prioridade do movimento sindical, pois nesse momento com o crescimento dos acidentes e doenças do trabalho, é onde o trabalhador mais irá buscar amparo em suas entidades sindicais.
A reunião coordenada pelo Secretário Arnaldo Gonçalves, contou com a presença de João Scaboli- 1º Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho e Diretor da Fequimfar; Luis Carlos de Oliveira - 2º Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho e Diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes; Valdir Lima - 3º Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho e Diretor do Sindicato dos Comerciários de Porto Alegre/RS e Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho da Força Sindical Rio Grande do Sul; Marcos Ribeiro - Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho da Força Sindical Estadual São Paulo e Presidente do SINTESP; Kleber Costa - Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho da Força Sindical Estadual Rio de Janeiro e Presidente do Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho de Niterói e região/RJ; Rosecléia de Castro – 1ª Secretária de Segurança e Saúde no Trabalho da Força Sindical Estadual São Paulo e Diretora da FETIASP; Jonas dos Santos – Diretor do Sindicato das Costureiras de São Paulo; Elenisio da Silva – Diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Santos André e Mauá; Raimundo Nonato – Diretor da Federação Nacional dos Frentistas; Joel Felix – representante do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo e Rogério de Jesus- assessor da Secretaria de Segurança e Saúde da Central.
 

 Força define ações na área de saúde e segurançaCrédito: Arquivo Força

Em reunião realizada na Força Sindical, a Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho da Central, fez um balanço das atividades desenvolvidas em 2017. Em destaque nessa avaliação está a Plenária Nacional de Saúde do Trabalhador, que antecedeu o 8º Congresso da Central ocorrido no mês de junho, e subsidiou o documento final do Congresso sobre a temática de saúde do trabalhador. Também se destacou a realização do seminário preparatório para a 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, para todos os presentes o ano de 2017, que foi um ano de muitas ações em defesa da saúde do trabalhador, pois os reflexos do desmonte do Ministério do Trabalho e da Fundacentro, a precarização dos ambientes e processo de trabalho em consequência da terceirização tem gerado um aumento nos acidentes e doenças do trabalho.

Segundo Arnaldo Gonçalves, secretário de Saúde e Segurança da Central, para o ano de 2018, definiu-se nessa reunião reforçar junto às entidades filiadas a aplicação do Plano Nacional de Saúde do Trabalhador da Força Sindical, pois o plano aprovado no 8º Congresso da Central, já apresenta diversas atividades e ações que promovam o Trabalho Decente. Essas ações e atividades devem ser desenvolvidas pela Central através de sua secretaria nacional de segurança e saúde no trabalho, suas instâncias estaduais e suas entidades filiadas, com objetivo de garantir o ambiente e processo de trabalho seguro e saudável a todos trabalhadores e trabalhadoras.

As ações de promoção da saúde do trabalhador para 2018, já vem sendo reforçada com as resoluções da 1º Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, realizada nos dias 27e 28 de fevereiro e 1 e 2 de março da qual a Central se fez presente, como também participamos de sua aprovação no Conselho Nacional de Saúde, na comissão organizadora e comissão de comunicação e mobilização. A próxima atividade que está sendo organizada pela Força Sindical e demais Centrais Sindicais é a realização de um grande manifesto no dia 28 de abril, essa data é um dia mundial de reflexão sobre os acidentes e doenças do trabalho.

As entidades presente entendem que diante da conjuntura nacional que reflete as dificuldades do movimento sindical, as ações de promoção e prevenção em saúde do trabalhador deve ser prioridade do movimento sindical, pois nesse momento com o crescimento dos acidentes e doenças do trabalho, é onde o trabalhador mais irá buscar amparo em suas entidades sindicais.
A reunião coordenada pelo Secretário Arnaldo Gonçalves, contou com a presença de João Scaboli- 1º Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho e Diretor da Fequimfar; Luis Carlos de Oliveira - 2º Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho e Diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes; Valdir Lima - 3º Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho e Diretor do Sindicato dos Comerciários de Porto Alegre/RS e Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho da Força Sindical Rio Grande do Sul; Marcos Ribeiro - Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho da Força Sindical Estadual São Paulo e Presidente do SINTESP; Kleber Costa - Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho da Força Sindical Estadual Rio de Janeiro e Presidente do Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho de Niterói e região/RJ; Rosecléia de Castro – 1ª Secretária de Segurança e Saúde no Trabalho da Força Sindical Estadual São Paulo e Diretora da FETIASP; Jonas dos Santos – Diretor do Sindicato das Costureiras de São Paulo; Elenisio da Silva – Diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Santos André e Mauá; Raimundo Nonato – Diretor da Federação Nacional dos Frentistas; Joel Felix – representante do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo e Rogério de Jesus- assessor da Secretaria de Segurança e Saúde da Central.