(Sindserv) retomou, nesta quarta-feira (2), as visitas regulares aos locais de trabalho, para ouvir e mobilizar a categoria.
ICrédito: Arquivo

No primeiro semestre, o presidente Zoel Garcia Siqueira e outros diretores percorreram quase todas as bases da administração pública por causa da data-base de abril.

A primeira visita deste semestre foi à garagem municipal, onde é grande a concentração de vários profissionais. Zoel foi acompanhado por Gildo de Araújo Rozendo e Gilberto Alves do Nascimento.

“Fomos para falar, mas principalmente para ouvir”, diz o presidente. Segundo ele, “essa convivência é imprescindível para o bom desempenho da direção sindical”.

Zoel diz que começou o levantamento de reivindicações para a data-base de abril de 2020: “Não mais cuidamos disso apenas nas assembleias na sede, mas também nas bases”.

Máquina está azeitada
Na garagem, os sindicalistas ouviram muitos elogios, mas também críticas, principalmente relacionadas a atuações passadas do departamento jurídico do Sindserv.

“Hoje, não apenas o jurídico, mas outros setores do sindicato, corrigiram alguns problemas. E a máquina está cada vez mais azeitada para atender a demanda e os anseios da categoria”, diz o presidente.

“Se o servidor não vai ao sindicato, o sindicato vai ao servidor”, brinca Zoel. Nas atuais visitas, a diretoria distribui uma cartilha sobre as principais funções e os serviços oferecidos pela entidade.

“Não podemos estar em todos os lugares ao mesmo tempo”, finaliza Zoel. “Mas, com persistência, visitaremos quase todos os cantos, tirando daí informações e energias para a boa luta sindical”.

ICrédito: Arquivo

No primeiro semestre, o presidente Zoel Garcia Siqueira e outros diretores percorreram quase todas as bases da administração pública por causa da data-base de abril.

A primeira visita deste semestre foi à garagem municipal, onde é grande a concentração de vários profissionais. Zoel foi acompanhado por Gildo de Araújo Rozendo e Gilberto Alves do Nascimento.

“Fomos para falar, mas principalmente para ouvir”, diz o presidente. Segundo ele, “essa convivência é imprescindível para o bom desempenho da direção sindical”.

Zoel diz que começou o levantamento de reivindicações para a data-base de abril de 2020: “Não mais cuidamos disso apenas nas assembleias na sede, mas também nas bases”.

Máquina está azeitada
Na garagem, os sindicalistas ouviram muitos elogios, mas também críticas, principalmente relacionadas a atuações passadas do departamento jurídico do Sindserv.

“Hoje, não apenas o jurídico, mas outros setores do sindicato, corrigiram alguns problemas. E a máquina está cada vez mais azeitada para atender a demanda e os anseios da categoria”, diz o presidente.

“Se o servidor não vai ao sindicato, o sindicato vai ao servidor”, brinca Zoel. Nas atuais visitas, a diretoria distribui uma cartilha sobre as principais funções e os serviços oferecidos pela entidade.

“Não podemos estar em todos os lugares ao mesmo tempo”, finaliza Zoel. “Mas, com persistência, visitaremos quase todos os cantos, tirando daí informações e energias para a boa luta sindical”.