A Força Sindical RJ promoveu nesta quarta-feira, 6 de dezembro, o Encontro Regional do Sul Fluminense, na subsede em Volta Redonda do Sindicato dos Empregados em Postos de Combustíveis RJ.
Força RJ promove encontro regional em Volta RedondaCrédito: Força Sindical-RJ

Com a presença do presidente Carlos Fidalgo, dos vice-presidentes Eusébio Pinto Neto e Marco Antônio Lagos, o Marquinho da Força, e do secretário para a Região Sul Fluminense, José Gama, o Zequinha, o encontro reuniu representantes dos rodoviários, metalúrgicos, fiscais municipais, frentistas, aposentados e jornalistas.

“Estamos aqui para fortalecer o trabalho na regional, que tem lutas importantes, movidas por companheiros que representam muito bem os trabalhadores. Não podemos mais pensar que vamos vencer os desafios sozinhos, isolados. Nossa união e unidade é que vão nos fortalecer nas lutas”, afirmou Carlos Fidalgo, que ressaltou que é importante trazer não só a classe trabalhadora, mas a sociedade como um todo para as discussões.

Fidalgo disse ainda que é preciso eleger um número maior de representantes no legislativo realmente compromissados com o movimento sindical e as causas dos trabalhadores, tanto em Brasília como no estado. “Precisamos trazer propostas de mudança que envolvam as comunidades. Vejam o esforço do companheiro Paulinho (deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força) para embargar a reforma da Previdência, para tentar reverter o quadro de desmonte geral”, alertou Fidalgo.

O vice-presidente Eusébio Pinto Neto se colocou à disposição para somar nas lutas da região e disse que o principal objetivo do encontro era ouvir as demandas das categorias, bem como sugestões que possam provocar avanços que beneficiem a classe trabalhadora. “Vocês também precisam ir às bases, ouvir o que o trabalhador tem a dizer”, completou.

Os presidentes de Sindicatos e das categorias presentes passaram, então, a colocar suas principais bandeiras de luta no momento. O presidente Carlos Fidalgo colocou a central no Rio de Janeiro à disposição para ajudar no que por preciso.

O vice-presidente Marquinho da Força lembrou que, pela sua capacidade de luta e negociação, a Força RJ é, atualmente, uma central sindical respeitada pelas outras centrais em todo o estado. “Estamos trabalhando junto às demais centrais para enfrentar essas reformas, uma afronta muito grande, inimaginável, mas que está aí, na ordem do dia. Superamos divergências. Ninguém tem a receita do bolo pronta, mas a união é um bom caminho”, destacou Marquinho.

O próximo encontro regional será no Norte Fluminense, possivelmente em Rio das Ostras, em fevereiro de 2018.


 

Força RJ promove encontro regional em Volta RedondaCrédito: Força Sindical-RJ

Com a presença do presidente Carlos Fidalgo, dos vice-presidentes Eusébio Pinto Neto e Marco Antônio Lagos, o Marquinho da Força, e do secretário para a Região Sul Fluminense, José Gama, o Zequinha, o encontro reuniu representantes dos rodoviários, metalúrgicos, fiscais municipais, frentistas, aposentados e jornalistas.

“Estamos aqui para fortalecer o trabalho na regional, que tem lutas importantes, movidas por companheiros que representam muito bem os trabalhadores. Não podemos mais pensar que vamos vencer os desafios sozinhos, isolados. Nossa união e unidade é que vão nos fortalecer nas lutas”, afirmou Carlos Fidalgo, que ressaltou que é importante trazer não só a classe trabalhadora, mas a sociedade como um todo para as discussões.

Fidalgo disse ainda que é preciso eleger um número maior de representantes no legislativo realmente compromissados com o movimento sindical e as causas dos trabalhadores, tanto em Brasília como no estado. “Precisamos trazer propostas de mudança que envolvam as comunidades. Vejam o esforço do companheiro Paulinho (deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força) para embargar a reforma da Previdência, para tentar reverter o quadro de desmonte geral”, alertou Fidalgo.

O vice-presidente Eusébio Pinto Neto se colocou à disposição para somar nas lutas da região e disse que o principal objetivo do encontro era ouvir as demandas das categorias, bem como sugestões que possam provocar avanços que beneficiem a classe trabalhadora. “Vocês também precisam ir às bases, ouvir o que o trabalhador tem a dizer”, completou.

Os presidentes de Sindicatos e das categorias presentes passaram, então, a colocar suas principais bandeiras de luta no momento. O presidente Carlos Fidalgo colocou a central no Rio de Janeiro à disposição para ajudar no que por preciso.

O vice-presidente Marquinho da Força lembrou que, pela sua capacidade de luta e negociação, a Força RJ é, atualmente, uma central sindical respeitada pelas outras centrais em todo o estado. “Estamos trabalhando junto às demais centrais para enfrentar essas reformas, uma afronta muito grande, inimaginável, mas que está aí, na ordem do dia. Superamos divergências. Ninguém tem a receita do bolo pronta, mas a união é um bom caminho”, destacou Marquinho.

O próximo encontro regional será no Norte Fluminense, possivelmente em Rio das Ostras, em fevereiro de 2018.