Os 15 mil trabalhadores de postos de combustíveis do município do Rio de Janeiro vão receber reajuste de 11% até 16,68% no piso salarial da categoria. Após dois meses de negociação, o Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado do Rio de Janeiro (Sinpospetro-RJ) fechou o acordo com os patrões garantindo para os trabalhadores um dos maiores reajustes do Brasil.

As funções de gerente e subgerente, que exercem cargos de chefia e ficam responsáveis por todo funcionamento do posto, foram as que tiveram maiores aumento. A partir de agora, o gerente vai receber de remuneração 1.5 do piso do frentista. Essa alteração, que criou um plano de cargos e salários na Convenção Coletiva, reajustou em 16,68% o salário do gerente, que passará de R$ 1.1154,06 para R$1.425,32.
O subgerente teve um aumento de 13,49% no salário, que subirá de R$ 1.112,45 para 1.216,28. Com as mudanças, o subgerente vai ganhar de remuneração 1.28 do piso do frentista. Nos salários dos dois cargos, já estão incluídos o adicional de 30% de periculosidade. 
Os frentistas, lavadores de carro, trocadores de óleo, vigia e funcionários de lojas de conveniência e escritório tiveram aumento de 11% nos salários. Além da reposição integral da inflação medida pelo INPC de 6,76% (acumulada de março de 2012 a fevereiro de 2013), o Sinpospetro-RJ conquistou para esse grupo da categoria um aumento real de 4,24%. Com isso, o salário do frentista passará de R$ 881,40 para R$ 950,21, já incluído o adicional de periculosidade. O reajuste é retroativo a 1º de março.
Além do aumento salarial, O Sinpospetro-RJ conseguiu reajustar a cesta básica em 45,45% passando de R$ 55 para R$ 80. Os trabalhadores vão receber Participação nos Lucros e Resultados (PLR) no valor de R$ 300. O sindicato também conquistou adicional de periculosidade de 30% para todos os empregados da categoria. 
Segundo o presidente do Sinpospetro-RJ, Eusébio Pinto Neto, essa é uma grande vitória para categoria que avançou na construção de uma convenção coletiva com a definição de cargos e a conquista de um aumento real expressivo. Ele destaca ainda que o fechamento desse acordo garante aos trabalhadores de postos mais dignidade e cidadania.
Os 15 mil trabalhadores de postos de combustíveis do município do Rio de Janeiro vão receber reajuste de 11% até 16,68% no piso salarial da categoria. Após dois meses de negociação, o Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado do Rio de Janeiro (Sinpospetro-RJ) fechou o acordo com os patrões garantindo para os trabalhadores um dos maiores reajustes do Brasil.  
         As funções de gerente e subgerente, que exercem cargos de chefia e ficam responsáveis por todo funcionamento do posto, foram as que tiveram maiores aumento. A partir de agora, o gerente vai receber de remuneração 1.5 do piso do frentista. Essa alteração, que criou um plano de cargos e salários na Convenção Coletiva, reajustou em 16,68% o salário do gerente, que passará de R$ 1.1154,06 para R$1.425,32. 
O subgerente teve um aumento de 13,49% no salário, que subirá de R$ 1.112,45 para 1.216,28. Com as mudanças, o subgerente vai ganhar de remuneração 1.28 do piso do frentista. Nos salários dos dois cargos, já estão incluídos o adicional de 30% de periculosidade. 
Os frentistas, lavadores de carro, trocadores de óleo, vigia e funcionários de lojas de conveniência e escritório tiveram aumento de 11% nos salários. Além da reposição integral da inflação medida pelo INPC de 6,76% (acumulada de março de 2012 a fevereiro de 2013), o Sinpospetro-RJ conquistou para esse grupo da categoria um aumento real de 4,24%. Com isso, o salário do frentista passará de R$ 881,40 para R$ 950,21, já incluído o adicional de periculosidade. O reajuste é retroativo a 1º de março.
Além do aumento salarial, O Sinpospetro-RJ conseguiu reajustar a cesta básica em 45,45% passando de R$ 55 para R$ 80. Os trabalhadores vão receber Participação nos Lucros e Resultados (PLR) no valor de R$ 300. O sindicato também conquistou adicional de periculosidade de 30% para todos os empregados da categoria. 
Segundo o presidente do Sinpospetro-RJ, Eusébio Pinto Neto, essa é uma grande vitória para categoria que avançou na construção de uma convenção coletiva com a definição de cargos e a conquista de um aumento real expressivo. Ele destaca ainda que o fechamento desse acordo garante aos trabalhadores de postos mais dignidade e cidadania.