Arquivo Força Sindical/SP

Dirigentes da Força Sindical realizaram hoje (dia 7), pela manhã, reunião para organizar a 7ª Marcha para Brasília e a comemoração do 1º de Maio de 2013. O secretário-geral da Central, João Carlos Gonçalves, Juruna, explicou aos sindicalistas o objetivo da Marcha, que é reivindicar a pauta trabalhista e questionar fatos que estão ocorrendo e que podem influenciar a vida dos trabalhadores. “ Devemos pensar e agir para influir nas mudanças que estão ocorrendo, como MP dos portos e tentativas de acabar com direitos trabalhistas”, disse Juruna.

Danilo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical SP, informou que está a ida de trabalhadores das diferentes categorias do Estado de São Paulo para Brasília, onde participarão  da 7ª Marcha. “A Central se prepara para levar 20 mil trabalhadores”, declarou.

Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e da CNTM explicou como  ele e os dirigentes da categoria no País estão organizando os trabalhadores na capital paulista e em âmbito nacional. “Vamos levar muita gente para garantir direitos e avançar nas conquistas”, enfatizou.

Neusa Barbosa, diretora da Fetiasp (Federação dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação do Estado de S. Paulo), e Eunice Cabral, presidente do Sindicato das Costureiras de SP e Osasco, defenderam a participação das mulheres na 7ª Marcha e no Congresso Nacional da Força Sindical, que acontecerá este ano.

 “Aumentar a presença das mulheres em cargos de direção é uma Resolução do 6º Congresso Nacional que deve ser cumprida”, destacou Neusa Barbosa. “Queremos uma representação de fato e de verdade”, afirmou Eunice. Elas lembraram que as trabalhadoras das centrais vão comemorar o Dia Internacional da Mulher, que será no dia 8, dentro da 7ª Marcha que acontecerá no dia 6, em Brasília. Valclecia Trindade, 1ª secretária da Central, ressaltou a importância da Marcha e também sugeriu aos dirigentes que lembrem em seus discursos o Dia da Mulher e o aniversário da Força Sindical, que acontece  na mesma data.

1º de Maio

Na mesma reunião, os dirigentes discutiram ações para mobilizar os trabalhadores que devem participar das comemorações do 1º de Maio, em São Paulo. Valclecia que também é coordenadora do 1º de Maio, explicou aos dirigentes de sindicatos que ingressaram na Central recentemente, as atividades desenvolvidas para mobilizar os trabalhadores para o evento.

O 1º de Maio será unitário com outras centrais.