O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Uberlândia (SINDTTRANS), Célio Moreira, realizou assembleia com trabalhadores da empresa Viação Platina, na noite da última quinta-feira, 12, para discutir sobre a proposta de reajustes apresentados pela empresa para o ano de 2018/2019.
SindttransCrédito: Sindicato

A proposta apresentada pela Viação Platina era a elevação dos salários e o tíquete alimentação em 1,81% e o valor do plano de saúde a ser pago pelo trabalhador para R$ 105,20. A proposta foi refutada pela classe trabalhadora. Assim sendo, foi formulada uma contraproposta por trabalhadores e pelo SINDTTRANS. “A nossa reivindicação e que o reajuste seja de 2,2% no salário, retroativo ao mês de março.

O tíquete alimentação não sofrerá reajustes, desde que não seja por dia efetivo de trabalho, mantendo a atual sistemática adotada pela empresa. O pagamento do retroativo deverá ser pago sob a remuneração, não sob o piso salarial do trabalhador. Ainda sobre o retroativo, deverão ser pagos na próxima folha de pagamento, ou seja, abril de 2018. E para completar, que seja corrigido o valor da ajuda de custo daqueles trabalhadores que ganham um salário mínimo”, comentou Célio.

Um dos assuntos discutidos e aprovados na assembleia, são as contribuições sindicais, que deverão ser feitos todos os pagamentos estipulados por lei e pela assembleia geral, inclusive o imposto sindical.


 

SindttransCrédito: Sindicato

A proposta apresentada pela Viação Platina era a elevação dos salários e o tíquete alimentação em 1,81% e o valor do plano de saúde a ser pago pelo trabalhador para R$ 105,20. A proposta foi refutada pela classe trabalhadora. Assim sendo, foi formulada uma contraproposta por trabalhadores e pelo SINDTTRANS. “A nossa reivindicação e que o reajuste seja de 2,2% no salário, retroativo ao mês de março.

O tíquete alimentação não sofrerá reajustes, desde que não seja por dia efetivo de trabalho, mantendo a atual sistemática adotada pela empresa. O pagamento do retroativo deverá ser pago sob a remuneração, não sob o piso salarial do trabalhador. Ainda sobre o retroativo, deverão ser pagos na próxima folha de pagamento, ou seja, abril de 2018. E para completar, que seja corrigido o valor da ajuda de custo daqueles trabalhadores que ganham um salário mínimo”, comentou Célio.

Um dos assuntos discutidos e aprovados na assembleia, são as contribuições sindicais, que deverão ser feitos todos os pagamentos estipulados por lei e pela assembleia geral, inclusive o imposto sindical.