logo mulher

O Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região realiza sábado (17) homenagem ao Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março. Será na sede (rua Harry Simonsen, 202, Centro, Guarulhos), a partir das 10 horas. Além do congraçamento, o encontro tratará das lutas femininas por igualdade e contra a violência.

Haverá palestra com a socióloga Camila Ikuta, do Dieese. O tema é “O impacto da reforma trabalhista na vida da mulher”. Música ao vivo e sorteio de brindes animarão o encontro. Entrada grátis, para associadas ou não.

A diretora Roseli Lima, do Departamento Feminino, enfatiza que a luta por direitos não para. Ela diz: “É preciso acabar com a desigualdade e garantir salários justos, com isonomia entre homens e mulheres”. A diretora chama atenção para a necessidade do combate à violência cotidiana contra as mulheres.

Pereira - O presidente do Sindicato, José Pereira dos Santos, apoia a organização sindical e cívica das mulheres. Ele afirma: “O reconhecimento às justas bandeiras femininas tardou a ocorrer. Mas as companheiras têm enfrentado os desafios com coragem e dignidade”.

logo mulher

O Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região realiza sábado (17) homenagem ao Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março. Será na sede (rua Harry Simonsen, 202, Centro, Guarulhos), a partir das 10 horas. Além do congraçamento, o encontro tratará das lutas femininas por igualdade e contra a violência.

Haverá palestra com a socióloga Camila Ikuta, do Dieese. O tema é “O impacto da reforma trabalhista na vida da mulher”. Música ao vivo e sorteio de brindes animarão o encontro. Entrada grátis, para associadas ou não.

A diretora Roseli Lima, do Departamento Feminino, enfatiza que a luta por direitos não para. Ela diz: “É preciso acabar com a desigualdade e garantir salários justos, com isonomia entre homens e mulheres”. A diretora chama atenção para a necessidade do combate à violência cotidiana contra as mulheres.

Pereira - O presidente do Sindicato, José Pereira dos Santos, apoia a organização sindical e cívica das mulheres. Ele afirma: “O reconhecimento às justas bandeiras femininas tardou a ocorrer. Mas as companheiras têm enfrentado os desafios com coragem e dignidade”.