Setor registrou 2º pior mês do ano pela greve dos caminhoneiros e outros fatores; no semestre, alta é de 6,9%

A venda de motos em junho somou apenas 74,1 mil unidades, o segundo pior resultado do ano, atrás apenas de fevereiro, quando ocorreu o carnaval. A média diária de vendas recuou para 3,5 mil unidades, depois de alcançado cerca de 4 mil motos/dia em meses recentes. Os números foram divulgados pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionários.

Na comparação com os emplacamentos de maio, o setor anotou queda de 8,8%, a maior de todos os segmentos de veículos, em parte por causa da greve dos caminhoneiros, de acordo com a Fenabrave. No acumulado do ano foram emplacadas 457 mil motos, número 6,9% maior que o anotado no primeiro semestre do ano passado.

Vale dizer que outros dois fatores podem explicar a retração das vendas em junho.

FENABRAVE AJUSTA PROJEÇÃO PARA CIMA

A Fenabrave fez um pequeno ajuste de sua previsão para o setor de motos. Em vez de 903,1 mil unidades e alta de 6,1% sobre o ano de 2017, a entidade estima agora 917 mil motos e crescimento de 7,7% nas vendas. A crença da Fenabrave decorre do desempenho do primeiro semestre e de uma pequena recuperação do crédito, com a taxa de aprovação das propostas de financiamento estabilizada em torno de 20%, não mais em 15% como ocorria até o ano passado.

A venda de motos em junho somou apenas 74,1 mil unidades, o segundo pior resultado do ano, atrás apenas de fevereiro, quando ocorreu o carnaval. A média diária de vendas recuou para 3,5 mil unidades, depois de alcançado cerca de 4 mil motos/dia em meses recentes. Os números foram divulgados pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionários.

Na comparação com os emplacamentos de maio, o setor anotou queda de 8,8%, a maior de todos os segmentos de veículos, em parte por causa da greve dos caminhoneiros, de acordo com a Fenabrave. No acumulado do ano foram emplacadas 457 mil motos, número 6,9% maior que o anotado no primeiro semestre do ano passado.

Vale dizer que outros dois fatores podem explicar a retração das vendas em junho.

FENABRAVE AJUSTA PROJEÇÃO PARA CIMA

A Fenabrave fez um pequeno ajuste de sua previsão para o setor de motos. Em vez de 903,1 mil unidades e alta de 6,1% sobre o ano de 2017, a entidade estima agora 917 mil motos e crescimento de 7,7% nas vendas. A crença da Fenabrave decorre do desempenho do primeiro semestre e de uma pequena recuperação do crédito, com a taxa de aprovação das propostas de financiamento estabilizada em torno de 20%, não mais em 15% como ocorria até o ano passado.