A prefeitura de Guarujá responderá, em 11 de novembro, a abaixo-assinado de professores da rede municipal reivindicando aposentadoria com integralidade e paridade.

O direito, segundo o presidente do sindicato dos servidores municipais (Sindserv), Zoel Garcia Siqueira, estaria garantido por lei municipal e emendas à constituição federal.

Na manhã desta terça-feira (29), ele e a presidenta do sindicato dos professores municipais, Joanice Gonçalves Santos Batista, participaram de reunião com o secretário de governo, Gilberto Venâncio Alves.

O abaixo-assinado, subscrito por 264 professores admitidos até 2003, foi protocolado na sexta-feira (25). O presidente da autarquia Guarujá Previdência, Everton Sant’Ana, participou da reunião.

“Estamos há muito tempo nos movimentando para garantir esse benefício aos professores e de outros trabalhadores da prefeitura, que usa várias alegações para negá-lo”, explica Zoel.

Professor de história da rede municipal, o sindicalista adianta que, no dia 11, às 10 horas, uma comissão da categoria estará presente na reunião em que a prefeitura responderá sobre o abaixo-assinado.

Segundo ele, o documento foi protocolado também na autarquia, cujo departamento jurídico participou da reunião desta terça-feira, assim como o secretário adjunto de administração, William Lancellotti.

No total, perto 2.500 servidores, ainda por se aposentar ou já aposentados voluntariamente, têm direito a aposentadorias com integralidade e paridade.

O direito, segundo o presidente do sindicato dos servidores municipais (Sindserv), Zoel Garcia Siqueira, estaria garantido por lei municipal e emendas à constituição federal.

Na manhã desta terça-feira (29), ele e a presidenta do sindicato dos professores municipais, Joanice Gonçalves Santos Batista, participaram de reunião com o secretário de governo, Gilberto Venâncio Alves.

O abaixo-assinado, subscrito por 264 professores admitidos até 2003, foi protocolado na sexta-feira (25). O presidente da autarquia Guarujá Previdência, Everton Sant’Ana, participou da reunião.

“Estamos há muito tempo nos movimentando para garantir esse benefício aos professores e de outros trabalhadores da prefeitura, que usa várias alegações para negá-lo”, explica Zoel.

Professor de história da rede municipal, o sindicalista adianta que, no dia 11, às 10 horas, uma comissão da categoria estará presente na reunião em que a prefeitura responderá sobre o abaixo-assinado.

Segundo ele, o documento foi protocolado também na autarquia, cujo departamento jurídico participou da reunião desta terça-feira, assim como o secretário adjunto de administração, William Lancellotti.

No total, perto 2.500 servidores, ainda por se aposentar ou já aposentados voluntariamente, têm direito a aposentadorias com integralidade e paridade.