As bancadas do Governo e dos Empresários no Codefat derrotaram a proposta que previa o aumento em duas parcelas do seguro desemprego para os trabalhadores na pandemia
Lei altera Programa Seguro-Emprego, que reduz jornada e salário de trabalhadoresCrédito: Divulgação
Não houve consenso na proposta de prorrogação do seguro-desemprego feita pela Bancada dos Trabalhadores no Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador), composta pelos representantes das Centrais Sindicais CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT.
 
Na reunião de hoje, as Bancadas do Governo e dos Empregadores no Codefat, esta última formada pelas Confederações Nacionais da Indústria, Agricultura, Turismo, Comércio, Transporte e Sistema Financeiro, votaram contra a ampliação em duas parcelas do benefício do seguro-desemprego dos trabalhadores demitidos durante pandemia do coronavírus (período entre 20/3 e 31/07). Foram registrados 12 votos contra 6.
 
Vale lembrar que essa proposta da Bancada dos Trabalhadores passou por uma revisão do Grupo Técnico Especial, por cinco reuniões que a adequou, seguindo os pareceres dos órgãos de controle.
 
Mesmo assim, as Bancadas do Governo e Empregadores votaram contra a proposta, deixando de atender em torno de 2,7 milhões de trabalhadores que poderiam ser beneficiados, pois estão desempregados e sem acesso a outros programas sociais.
 
Representantes das Centrais Sindicais no Codefat
 

Central Única dos Trabalhadores - CUT
Quintino Marques Severo

Força Sindical
Sérgio Luiz Leite

União Geral dos Trabalhadores – UGT
Francisco Canidé Pegado do Nascimento

Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST
Geraldo Ramthun

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB
Antonio Renan Arrais

Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB
José Avelino Pereira

Lei altera Programa Seguro-Emprego, que reduz jornada e salário de trabalhadoresCrédito: Divulgação
Não houve consenso na proposta de prorrogação do seguro-desemprego feita pela Bancada dos Trabalhadores no Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador), composta pelos representantes das Centrais Sindicais CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT.
 
Na reunião de hoje, as Bancadas do Governo e dos Empregadores no Codefat, esta última formada pelas Confederações Nacionais da Indústria, Agricultura, Turismo, Comércio, Transporte e Sistema Financeiro, votaram contra a ampliação em duas parcelas do benefício do seguro-desemprego dos trabalhadores demitidos durante pandemia do coronavírus (período entre 20/3 e 31/07). Foram registrados 12 votos contra 6.
 
Vale lembrar que essa proposta da Bancada dos Trabalhadores passou por uma revisão do Grupo Técnico Especial, por cinco reuniões que a adequou, seguindo os pareceres dos órgãos de controle.
 
Mesmo assim, as Bancadas do Governo e Empregadores votaram contra a proposta, deixando de atender em torno de 2,7 milhões de trabalhadores que poderiam ser beneficiados, pois estão desempregados e sem acesso a outros programas sociais.
 
Representantes das Centrais Sindicais no Codefat
 

Central Única dos Trabalhadores - CUT
Quintino Marques Severo

Força Sindical
Sérgio Luiz Leite

União Geral dos Trabalhadores – UGT
Francisco Canidé Pegado do Nascimento

Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST
Geraldo Ramthun

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB
Antonio Renan Arrais

Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB
José Avelino Pereira