O reajuste salarial é de 4,92%, o tíquet-refeição subiu 7,51% e a Convenção Coletiva de Trabalho foi renovada.
escolta armada - vigilanteCrédito: Arquivo

Boa notícia para os três mil trabalhadores em escolta armada no Estado de São Paulo. Saiu o acordo coletivo. O reajuste salarial é de 4,92%, o tíquet-refeição subiu 7,51% e a Convenção Coletiva de Trabalho foi renovada. O acordo está em vigor desde a data-base,  1º de janeiro.

O reajuste supera em 0,15% o INPC do período, que ficou em 4,77%. O acordo coletivo melhora também os valores de benefícios como o tíquete-refeição, que aumentou de R$ 27,44 para R$ 29,50. Os trabalhadores também têm direito a um vale café da manhã, de R$ 6,43 por dia.

Piso - O Piso Salarial na escolta, com o Adicional de Periculosidade, passa a ser de R$ 2.435,08.

Negociação - João Passos, presidente do SindForte, comenta: “Os patrões queriam impor banco de horas e reduzir o intervalo entre jornadas. Mas resistimos e todos os direitos foram preservados”.

escolta armada - vigilanteCrédito: Arquivo

Boa notícia para os três mil trabalhadores em escolta armada no Estado de São Paulo. Saiu o acordo coletivo. O reajuste salarial é de 4,92%, o tíquet-refeição subiu 7,51% e a Convenção Coletiva de Trabalho foi renovada. O acordo está em vigor desde a data-base,  1º de janeiro.

O reajuste supera em 0,15% o INPC do período, que ficou em 4,77%. O acordo coletivo melhora também os valores de benefícios como o tíquete-refeição, que aumentou de R$ 27,44 para R$ 29,50. Os trabalhadores também têm direito a um vale café da manhã, de R$ 6,43 por dia.

Piso - O Piso Salarial na escolta, com o Adicional de Periculosidade, passa a ser de R$ 2.435,08.

Negociação - João Passos, presidente do SindForte, comenta: “Os patrões queriam impor banco de horas e reduzir o intervalo entre jornadas. Mas resistimos e todos os direitos foram preservados”.