Lospesco 6Crédito: Arquivo: Sindicato

Depois de decidirem pela greve a partir desta segunda-feira (19), os trabalhadores da Lopesco, indústria do setor alimentício, situada na cidade de Tatuí/SP, suspenderam a paralisação, após aceitarem a proposta da empresa.

A greve, prevista para iniciar na segunda-feira, foi suspensa após a direção da empresa se reunir com os representantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentos e Afins de Sorocaba e Região, e apresentarem uma proposta de reajuste de 9% sobre o cartão alimentação e abrir as negociações da PLR (Participação nos Lucros e Resultados), reivindicações que não viam sendo atendidas e que culminaram com a decisão de decretarem o estado de greve. Após a abertura do diálogo junto aos representantes da empresa, na assembleia que contou com o apoio da Força Sindical – Regional Sorocaba, o movimento paredista foi suspenso, conforme aprovação dos trabalhadores.

Para José Airton Oliveira, presidente do Sindicato da Alimentação de Sorocaba e Região, a conquista foi assegurada por conta da mobilização dos trabalhadores. “Todos devem permanecer unidos e mobilizados, visto que as tratativas sobre a PLR só estão começando e, caso os trabalhadores não tenham a sua mão de obra valorizada com um pagamento justo à titulo de Participação nos Lucros e Resultados, a greve poderá ocorrer a qualquer momento, se a proposta da empresa não atender as expectativas dos trabalhadores”.

Carlos Alberto dos Santos, representante da Força Sindical, ressaltou a importância dos companheiros e companheiras permanecerem unidos visando a valorização da categoria. “Tem certos patrões que só negociam quando a paralisação bate a sua porta. Nós da Força Sindical usamos de todas as ferramentas para negociar, mas se o patrão é intransigente nós vamos para a greve”.
 

Lospesco 6Crédito: Arquivo: Sindicato

Depois de decidirem pela greve a partir desta segunda-feira (19), os trabalhadores da Lopesco, indústria do setor alimentício, situada na cidade de Tatuí/SP, suspenderam a paralisação, após aceitarem a proposta da empresa.

A greve, prevista para iniciar na segunda-feira, foi suspensa após a direção da empresa se reunir com os representantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentos e Afins de Sorocaba e Região, e apresentarem uma proposta de reajuste de 9% sobre o cartão alimentação e abrir as negociações da PLR (Participação nos Lucros e Resultados), reivindicações que não viam sendo atendidas e que culminaram com a decisão de decretarem o estado de greve. Após a abertura do diálogo junto aos representantes da empresa, na assembleia que contou com o apoio da Força Sindical – Regional Sorocaba, o movimento paredista foi suspenso, conforme aprovação dos trabalhadores.

Para José Airton Oliveira, presidente do Sindicato da Alimentação de Sorocaba e Região, a conquista foi assegurada por conta da mobilização dos trabalhadores. “Todos devem permanecer unidos e mobilizados, visto que as tratativas sobre a PLR só estão começando e, caso os trabalhadores não tenham a sua mão de obra valorizada com um pagamento justo à titulo de Participação nos Lucros e Resultados, a greve poderá ocorrer a qualquer momento, se a proposta da empresa não atender as expectativas dos trabalhadores”.

Carlos Alberto dos Santos, representante da Força Sindical, ressaltou a importância dos companheiros e companheiras permanecerem unidos visando a valorização da categoria. “Tem certos patrões que só negociam quando a paralisação bate a sua porta. Nós da Força Sindical usamos de todas as ferramentas para negociar, mas se o patrão é intransigente nós vamos para a greve”.