José Carlos Lima Neto, de apenas 18 anos, morreu ontem em decorrência de grave acidente sofrido na empresa onde trabalhava, a Eplam de embalagens plásticas, em Americana SP. O jovem Aprendiz foi prensado em uma máquina.
eplam_americana-1-696x236Crédito: Redes sociais
Desde a ocorrência do acidente, na tarde de segunda-feira, dia 23 de novembro, lideranças do Sindicato dos Químicos de Americana e Região estão em contato com a empresa e prestando todo o apoio e assistência aos familiares, além de acompanhar de perto os trâmites para a perícia no local do acidente.
 
A FEQUIMFAR e Sindicatos filiados, com apoio da CNTQ, Força Sindical e IndustriALL, se solidarizam e na luta pela defesa dos direitos, saúde e segurança dos trabalhadores.
 
“Juntos com os Químicos de Americana, aguardamos as perícias e vamos cobrar o retorno na apuração e investigação do que aconteceu, pedindo urgência no esclarecimento do acidente”, declara Edson Dias Bicalho, secretário geral da FEQUIMFAR.
 
“Esta tragédia acontece justamente quando o grupo patronal se recusa a renovar a Convenção Coletiva que trata da saúde e segurança em máquinas de Prensas e Injetoras e que vigora há 25 anos no setor plástico”, lamenta Fabrício Cangussu, presidente do Sindicato dos Químicos de Americana e Região.
 
Convenção Coletiva tem o objetivo de prevenir acidentes
 
“Lamentamos a morte deste jovem trabalhador e manifestamos o nosso pesar e solidariedade aos familiares e amigos. Mais do que nunca, nossos esforços são em defesa desta Convenção que busca a segurança da classe trabalhadora, preservar a vida e a integridade física dos trabalhadores no ambiente de trabalho”, afirma Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da FEQUIMFAR e 1º secretário da Força Sindical.
 
“Em 25 anos de história e construção coletiva, avançamos com a Convenção Coletiva de segurança e prevenção em máquinas injetoras e sopradoras no estado de São Paulo, na redução de acidentes, mutilações e salvando vidas no setor plástico. Mas sabemos que a luta não terminou. Precisamos de planos de ações eficazes de prevenção, treinamento, organização e gestão”, informa João Scaboli, diretor do departamento de saúde do trabalhador da FEQUIMFAR, membro do CNS pela Força Sindical e diretor do DIESAT.
 
Na tarde de ontem, em reunião já agendada da Bancada dos Trabalhadores da CPN do Plástico, para discutir proposta para a renovação das Convenções de Segurança, dirigentes da FEQUIMFAR/Força Sindical, FETQUIM/CUT e Sindicatos filiados manifestaram solidariedade junto aos familiares deste jovem trabalhador e soma de forças aos companheiros dos Químicos de Americana diante desta trágica ocorrência.
 
Acidente na Eplam Embalagens
 
De acordo com o Corpo de Bombeiros, que atendeu à ocorrência, o rapaz teve o crânio prensado por uma das máquinas. Três bombeiros foram até o local, encontraram a vítima inconsciente e com hemorragia grave.
 
O jovem foi encaminhado em estado grave ao Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, mas não resistiu e manhã de terça feira (24.11.20) veio a falecer.
eplam_americana-1-696x236Crédito: Redes sociais
Desde a ocorrência do acidente, na tarde de segunda-feira, dia 23 de novembro, lideranças do Sindicato dos Químicos de Americana e Região estão em contato com a empresa e prestando todo o apoio e assistência aos familiares, além de acompanhar de perto os trâmites para a perícia no local do acidente.
 
A FEQUIMFAR e Sindicatos filiados, com apoio da CNTQ, Força Sindical e IndustriALL, se solidarizam e na luta pela defesa dos direitos, saúde e segurança dos trabalhadores.
 
“Juntos com os Químicos de Americana, aguardamos as perícias e vamos cobrar o retorno na apuração e investigação do que aconteceu, pedindo urgência no esclarecimento do acidente”, declara Edson Dias Bicalho, secretário geral da FEQUIMFAR.
 
“Esta tragédia acontece justamente quando o grupo patronal se recusa a renovar a Convenção Coletiva que trata da saúde e segurança em máquinas de Prensas e Injetoras e que vigora há 25 anos no setor plástico”, lamenta Fabrício Cangussu, presidente do Sindicato dos Químicos de Americana e Região.
 
Convenção Coletiva tem o objetivo de prevenir acidentes
 
“Lamentamos a morte deste jovem trabalhador e manifestamos o nosso pesar e solidariedade aos familiares e amigos. Mais do que nunca, nossos esforços são em defesa desta Convenção que busca a segurança da classe trabalhadora, preservar a vida e a integridade física dos trabalhadores no ambiente de trabalho”, afirma Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da FEQUIMFAR e 1º secretário da Força Sindical.
 
“Em 25 anos de história e construção coletiva, avançamos com a Convenção Coletiva de segurança e prevenção em máquinas injetoras e sopradoras no estado de São Paulo, na redução de acidentes, mutilações e salvando vidas no setor plástico. Mas sabemos que a luta não terminou. Precisamos de planos de ações eficazes de prevenção, treinamento, organização e gestão”, informa João Scaboli, diretor do departamento de saúde do trabalhador da FEQUIMFAR, membro do CNS pela Força Sindical e diretor do DIESAT.
 
Na tarde de ontem, em reunião já agendada da Bancada dos Trabalhadores da CPN do Plástico, para discutir proposta para a renovação das Convenções de Segurança, dirigentes da FEQUIMFAR/Força Sindical, FETQUIM/CUT e Sindicatos filiados manifestaram solidariedade junto aos familiares deste jovem trabalhador e soma de forças aos companheiros dos Químicos de Americana diante desta trágica ocorrência.
 
Acidente na Eplam Embalagens
 
De acordo com o Corpo de Bombeiros, que atendeu à ocorrência, o rapaz teve o crânio prensado por uma das máquinas. Três bombeiros foram até o local, encontraram a vítima inconsciente e com hemorragia grave.
 
O jovem foi encaminhado em estado grave ao Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, mas não resistiu e manhã de terça feira (24.11.20) veio a falecer.