Há anos o Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos luta pelo direito dos aposentados que continuaram trabalhando com Carteira assinada e, consequentemente, contribuindo para a Previdência, tivessem a possibilidade legal em requerer um novo cálculo sobre o valor de seus benefícios.

Esse direito, então denominado Desaposentação, foi obstruído em 2016, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou não haver uma base de cálculos para realizar os ajustes.

Quatro anos passados, o tema pelo direito à revisão dos valores da aposentadoria para quem contribuiu depois de aposentado retorna ao STF.

O Sindicato Nacional do Aposentados defende a Reaposentação. Se o sistema previdenciário brasileiro se estabelece por meio das contribuições do trabalhador ao longo de seu ciclo laboral, nada mais justo que o cidadão, que seguiu contribuindo, ter o direito de rever os valores de sua aposentadoria.

Esse direito, então denominado Desaposentação, foi obstruído em 2016, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou não haver uma base de cálculos para realizar os ajustes.

Quatro anos passados, o tema pelo direito à revisão dos valores da aposentadoria para quem contribuiu depois de aposentado retorna ao STF.

O Sindicato Nacional do Aposentados defende a Reaposentação. Se o sistema previdenciário brasileiro se estabelece por meio das contribuições do trabalhador ao longo de seu ciclo laboral, nada mais justo que o cidadão, que seguiu contribuindo, ter o direito de rever os valores de sua aposentadoria.