As sedes, subsedes e colônias de férias das 40 entidades filiadas à Força Sindical na baixada santista e litoral estão à disposição das prefeituras, do governo federal e do ministério da saúde para a campanha de vacinação contra a covid-19.
Nesta terça-feira (19), o coordenador da central na região, ‘Macaé’ Marcos Braz de Oliveira, enviará ofícios aos prefeitos, secretário de saúde paulista e ministro da saúde comunicando a decisão das direções sindicais, tomada entre sexta-feira (15) e segunda-feira (18).
 
A consulta virtual feita por Macaé, que preside o sindicato dos trabalhadores na construção civil, montagem e manutenção industrial (Sintracomos), foi finalizada agora à tarde e os ofícios serão expedidos amanhã (3ª, 19) de manhã.
 
‘Fazendo a nossa parte’
 
“Em parceria com as autoridades de saúde e sanitárias, deixaremos nossos imóveis devidamente limpos e higienizados para a campanha, conforme os protocolos internacionais”, diz o sindicalista. “A luta contra a pandemia é de todos e esperamos que a população seja imunizada”.
 
Segundo ele, os sindicalistas acompanharam atentamente o desenrolar dos acontecimentos que culminaram com a liberação, no domingo (17), das vacinas coronavac e astrazeneca. “Agora, vamos fazer a nossa parte para combater a peste”.
Nesta terça-feira (19), o coordenador da central na região, ‘Macaé’ Marcos Braz de Oliveira, enviará ofícios aos prefeitos, secretário de saúde paulista e ministro da saúde comunicando a decisão das direções sindicais, tomada entre sexta-feira (15) e segunda-feira (18).
 
A consulta virtual feita por Macaé, que preside o sindicato dos trabalhadores na construção civil, montagem e manutenção industrial (Sintracomos), foi finalizada agora à tarde e os ofícios serão expedidos amanhã (3ª, 19) de manhã.
 
‘Fazendo a nossa parte’
 
“Em parceria com as autoridades de saúde e sanitárias, deixaremos nossos imóveis devidamente limpos e higienizados para a campanha, conforme os protocolos internacionais”, diz o sindicalista. “A luta contra a pandemia é de todos e esperamos que a população seja imunizada”.
 
Segundo ele, os sindicalistas acompanharam atentamente o desenrolar dos acontecimentos que culminaram com a liberação, no domingo (17), das vacinas coronavac e astrazeneca. “Agora, vamos fazer a nossa parte para combater a peste”.