Uma audiência pública em defesa da manutenção do emprego dos frentistas será realizada amanhã, dia 10, às 9H30, no plenário 12 do anexo II da Câmara dos Deputados, em Brasília/DF.
ARRAESSINDICAL

Durante o debate, solicitado pelo Deputado Daniel Almeida (PCdoB/BA), líder da bancada do partido, será discutido o pedido de  arquivamento de três  projetos de  Lei que tramitam no Congresso e  que visam  derrubar a  Lei nº 9.956/2000,  que proíbe nos quarenta mil postos de combustíveis do país a instalação de bombas de autosserviço. “Essas propostas não representam os interesses do povo Brasileiro pois, se aprovadas, significarão o fim imediato mais de 500 mil empregos diretos em todo o país”, alerta Luiz Arraes, presidente da Federação Estadual dos Frentistas – Fepospetro e do Sinpospetro de Osasco, sobre os projetos de Lei nºs 2.302/19, 2792/19 e 3864/19, de autoria de parlamentares dos partidos NOVO-SP e DEM de SP e Goiás. “Querem colocar como o problema maior do nosso setor, o frentista, o que não é verdade”, completa o sindicalista.

Da mesa de debates, juntamente com  Eusébio Luis Pinto Neto, presidente da Federação Nacional dos Frentistas – FENEPOSPETRO  e do Sinpospetro do Rio de Janeiro, eles darão um panorama da atuação da categoria, que tem quase três décadas de organização e que reúne atualmente mais de sessenta sindicatos. Confirmaram ainda participação lideranças- frentistas de diversos estados do país, entre os quais Francisco Soares de Souza, presidente do Sinpospetro-Campinas e vice da Fenepospetro.

Os demais debatedores confirmados para a Audiência Pública são: Senhor José Roberto Trados, Presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC); Senhor Ottomar Lustosa Mascarenhas, Chefe do Núcleo Regional de Fiscalização do Abastecimento de Brasília, representando o Senhor Decio Fabricio Oddone da Costa, Diretor-Geral da Agencia Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocumbustíveis – ANP; Senhor Carlos Silva, Presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho – SINAIT; Senhor Joel Krüger, Presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia CONFEA. 

ARRAESSINDICAL

Durante o debate, solicitado pelo Deputado Daniel Almeida (PCdoB/BA), líder da bancada do partido, será discutido o pedido de  arquivamento de três  projetos de  Lei que tramitam no Congresso e  que visam  derrubar a  Lei nº 9.956/2000,  que proíbe nos quarenta mil postos de combustíveis do país a instalação de bombas de autosserviço. “Essas propostas não representam os interesses do povo Brasileiro pois, se aprovadas, significarão o fim imediato mais de 500 mil empregos diretos em todo o país”, alerta Luiz Arraes, presidente da Federação Estadual dos Frentistas – Fepospetro e do Sinpospetro de Osasco, sobre os projetos de Lei nºs 2.302/19, 2792/19 e 3864/19, de autoria de parlamentares dos partidos NOVO-SP e DEM de SP e Goiás. “Querem colocar como o problema maior do nosso setor, o frentista, o que não é verdade”, completa o sindicalista.

Da mesa de debates, juntamente com  Eusébio Luis Pinto Neto, presidente da Federação Nacional dos Frentistas – FENEPOSPETRO  e do Sinpospetro do Rio de Janeiro, eles darão um panorama da atuação da categoria, que tem quase três décadas de organização e que reúne atualmente mais de sessenta sindicatos. Confirmaram ainda participação lideranças- frentistas de diversos estados do país, entre os quais Francisco Soares de Souza, presidente do Sinpospetro-Campinas e vice da Fenepospetro.

Os demais debatedores confirmados para a Audiência Pública são: Senhor José Roberto Trados, Presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC); Senhor Ottomar Lustosa Mascarenhas, Chefe do Núcleo Regional de Fiscalização do Abastecimento de Brasília, representando o Senhor Decio Fabricio Oddone da Costa, Diretor-Geral da Agencia Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocumbustíveis – ANP; Senhor Carlos Silva, Presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho – SINAIT; Senhor Joel Krüger, Presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia CONFEA.