O Brasil sofre com altíssimas taxas de desemprego e avanço da pobreza. E, infelizmente, não está sozinho. Líderes sindicais da Argentina, Colômbia e República Dominicana também relataram situações semelhantes em seus países na reunião da IndustriALL Global Union Regional das Américas, que está sendo realizada no México, com encerramento hoje (25/10/2019).
industriall_mexico_25-10-2019-2-696x329Crédito: Arquivo

Edson Dias Bicalho, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas de Bauru e Região, secretário-geral da FEQUIMFAR e integrante do Comitê Executivo da IndustriALL, que participa do evento sobre comércio e política industrial, é quem conta.

“Nesta reunião regional das Américas contamos com a presença de representantes de Brasil, Argentina, Colômbia, Estados Unidos, Honduras, México, Nicarágua, Peru, República Dominicana, Suriname, Trinidad y Tobago e Uruguai. E os relatos sobre reformas trabalhista e desmonte do movimento sindical é impressionante. A pobreza e a miséria avançam de forma assustadora com empresas e governos destruindo direitos e conquistas. Durante os relatos, três companheiros choraram ao falar da situação da Argentina, Colômbia e República Dominicana. Precisamos ser fortes e estar unidos para enfrentar o que vem pela frente no Brasil”, afirma Bicalho.

A IndustriALL Global Union é entidade que representa 50 milhões de trabalhadores dos setores químico, têxtil, de mineração, de energia e metalúrgico em 140 países. A entidade fomenta as redes de trabalhadores no combate ao trabalho precário, na defesa dos direitos trabalhistas e do emprego decente, com liberdade e autonomia para a atuação dos sindicatos.

industriall_mexico_25-10-2019-2-696x329Crédito: Arquivo

Edson Dias Bicalho, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas de Bauru e Região, secretário-geral da FEQUIMFAR e integrante do Comitê Executivo da IndustriALL, que participa do evento sobre comércio e política industrial, é quem conta.

“Nesta reunião regional das Américas contamos com a presença de representantes de Brasil, Argentina, Colômbia, Estados Unidos, Honduras, México, Nicarágua, Peru, República Dominicana, Suriname, Trinidad y Tobago e Uruguai. E os relatos sobre reformas trabalhista e desmonte do movimento sindical é impressionante. A pobreza e a miséria avançam de forma assustadora com empresas e governos destruindo direitos e conquistas. Durante os relatos, três companheiros choraram ao falar da situação da Argentina, Colômbia e República Dominicana. Precisamos ser fortes e estar unidos para enfrentar o que vem pela frente no Brasil”, afirma Bicalho.

A IndustriALL Global Union é entidade que representa 50 milhões de trabalhadores dos setores químico, têxtil, de mineração, de energia e metalúrgico em 140 países. A entidade fomenta as redes de trabalhadores no combate ao trabalho precário, na defesa dos direitos trabalhistas e do emprego decente, com liberdade e autonomia para a atuação dos sindicatos.