Edler Antônio da Silva
Edler Antônio da Silva
Quais os problemas sociais enfrentados na Ilha de Santo Amaro neste ano e soluções contínuas a partir do novo período quadrienal de mandatos políticos iniciado em 2021?
 
A Pérola do Atlântico foi marcada em 2020 por duas grandes calamidades públicas e uma crise de abastecimento hídrico, sem precedentes, que afetaram os moradores de Guarujá e Vicente de Carvalho. Ano difícil que impôs e continua impondo desafios para os moradores e políticos do município.
 
O primeiro desastre ocorreu em março, após chuvas equivalentes ao volume de águas de 40 dias que provocaram deslizamentos nos morros, enchentes em praticamente todos os bairros da cidade, perdas patrimoniais, mortes e desabrigo para centenas de pessoas.
 
A pandemia da Covid-19, ainda em curso, com primeiros casos e óbitos registrados em abril, exigiu e exige medidas de isolamento e distanciamento social. Turismo parado, comércio fechado, colapso no ensino público e particular, ações sanitárias e de saúde, medidas de higiene ocupacional.
 
A falta d’água, em julho, em plena pandemia, com a cidade isolada por barreiras nas entradas, sem que houvesse a desculpa de todos os anos de que o número de visitantes de outras cidades provocava o desabastecimento, assolou os moradores desde o Itapema até o Rabo do Dragão.
 
Esse é o diagnóstico simplório dos principais problemas que prejudicaram os moradores de Guarujá e Vicente de Carvalho em 2020, ano eleitoral que renovará as cadeiras da câmara e prefeitura municipais, com possibilidades óbvias de reeleições dos atuais prefeito e vereadores.
 
As soluções contínuas e desafios político-administrativos para o município a partir de 2021 são muitos e complexos, envolvendo toda a macroestrutura pública municipal, das empresas e dos munícipes guarujaense. E essas soluções iniciam-se na votação de 15 de novembro.
 
É tempo de repensar a cidade, de renovar ideias, de acreditar em um futuro melhor e de fazer boas escolhas dos políticos que ‘descascarão os abacaxis e farão dos limões, limonadas’ nos próximos quatro anos. É preciso melhorar os serviços públicos e dar mais eficiência ao funcionalismo municipal.
 
Edler Antônio da Silva
Servidor público e especialista nas áreas de segurança patrimonial, gestão de pessoas e previdência pública
Quais os problemas sociais enfrentados na Ilha de Santo Amaro neste ano e soluções contínuas a partir do novo período quadrienal de mandatos políticos iniciado em 2021?
 
A Pérola do Atlântico foi marcada em 2020 por duas grandes calamidades públicas e uma crise de abastecimento hídrico, sem precedentes, que afetaram os moradores de Guarujá e Vicente de Carvalho. Ano difícil que impôs e continua impondo desafios para os moradores e políticos do município.
 
O primeiro desastre ocorreu em março, após chuvas equivalentes ao volume de águas de 40 dias que provocaram deslizamentos nos morros, enchentes em praticamente todos os bairros da cidade, perdas patrimoniais, mortes e desabrigo para centenas de pessoas.
 
A pandemia da Covid-19, ainda em curso, com primeiros casos e óbitos registrados em abril, exigiu e exige medidas de isolamento e distanciamento social. Turismo parado, comércio fechado, colapso no ensino público e particular, ações sanitárias e de saúde, medidas de higiene ocupacional.
 
A falta d’água, em julho, em plena pandemia, com a cidade isolada por barreiras nas entradas, sem que houvesse a desculpa de todos os anos de que o número de visitantes de outras cidades provocava o desabastecimento, assolou os moradores desde o Itapema até o Rabo do Dragão.
 
Esse é o diagnóstico simplório dos principais problemas que prejudicaram os moradores de Guarujá e Vicente de Carvalho em 2020, ano eleitoral que renovará as cadeiras da câmara e prefeitura municipais, com possibilidades óbvias de reeleições dos atuais prefeito e vereadores.
 
As soluções contínuas e desafios político-administrativos para o município a partir de 2021 são muitos e complexos, envolvendo toda a macroestrutura pública municipal, das empresas e dos munícipes guarujaense. E essas soluções iniciam-se na votação de 15 de novembro.
 
É tempo de repensar a cidade, de renovar ideias, de acreditar em um futuro melhor e de fazer boas escolhas dos políticos que ‘descascarão os abacaxis e farão dos limões, limonadas’ nos próximos quatro anos. É preciso melhorar os serviços públicos e dar mais eficiência ao funcionalismo municipal.
 
Edler Antônio da Silva
Servidor público e especialista nas áreas de segurança patrimonial, gestão de pessoas e previdência pública