João Donizeti Scaboli
João Donizeti Scaboli

Nunca antes a palavra “prevenção” fez tanto sentido. Estamos vivendo dias de crise diante de uma pandemia que só vem a agravar a estagnação econômica, a fragilidade dos serviços públicos, a pobreza e o desemprego.

Em meio a este cenário, o Dia Mundial da Saúde aparece para resgatar o sentido do termo “prevenir” que vem do Latim “PRAEVENIRE”, “antecipar, perceber previamente”, literalmente “chegar antes”. Quem “chega antes” possui a chance de evitar adversidades, tomando medidas necessárias para preservar uma situação ou um contexto.

O que temos feito para nos prevenir?

Os meios de comunicação são taxativos sobre as formas de prevenção da infecção pelo novo coronavírus.

Além disso, nossos companheiros, profissionais que trabalham nas diversas áreas de saúde, estão, diariamente, arriscando suas vidas para garantir que serviços essenciais como a saúde, segurança e saneamento básico não parem e sigam socorrendo a população.

Bem, mas e o que sido feito para precaver o país de um colapso nas áreas de saúde e sociais?

Em tempo, reivindicamos a revogação imediata da Emenda Constitucional (EC) 95/2016, que congelou investimentos públicos nas áreas da Saúde e Educação por 20 anos.

A Organização Mundial da Saúde (que completa 72 anos em 7 de abril), decretou que a pandemia é mundial e têm solicitado ajuda de emergência a fim de aperfeiçoar os sistemas de saúde, pagar médicos e enfermeiros e comprar equipamentos de proteção.

Precisamos pressionar o governo a liberar recursos para enfrentar o avanço do novo coronavírus, bem como enfrentar outras tantas epidemias que continuam prejudicando o país, como a dengue, o sarampo e o HIV/Aids.

Além disso, ressaltamos também a importância de fortalecer o Sistema Único de Saúde, o SUS, e políticas públicas de saúde, considerando que só assim será possível atender as necessidades da população. A saúde é um direito de todos. Nossa luta é por um SUS universal, inteiro e completo!

Nesta data, homenageamos o trabalho de quem está se arriscando para proteger – prevenir – a população, diminuindo o contágio deste vírus. Nosso reconhecimento por toda luta e empenho de todos esses profissionais que estão salvando vidas!

João Donizete Scaboli
Diretor do Departamento de Saúde do Trabalhador da FEQUIMFAR, Adjunto da Secretaria de Saúde e Segurança do Trabalho da Força Sindical, Membro do Conselho Nacional de Saúde (pela Força Sindical) e Diretor DIESAT

Nunca antes a palavra “prevenção” fez tanto sentido. Estamos vivendo dias de crise diante de uma pandemia que só vem a agravar a estagnação econômica, a fragilidade dos serviços públicos, a pobreza e o desemprego.

Em meio a este cenário, o Dia Mundial da Saúde aparece para resgatar o sentido do termo “prevenir” que vem do Latim “PRAEVENIRE”, “antecipar, perceber previamente”, literalmente “chegar antes”. Quem “chega antes” possui a chance de evitar adversidades, tomando medidas necessárias para preservar uma situação ou um contexto.

O que temos feito para nos prevenir?

Os meios de comunicação são taxativos sobre as formas de prevenção da infecção pelo novo coronavírus.

Além disso, nossos companheiros, profissionais que trabalham nas diversas áreas de saúde, estão, diariamente, arriscando suas vidas para garantir que serviços essenciais como a saúde, segurança e saneamento básico não parem e sigam socorrendo a população.

Bem, mas e o que sido feito para precaver o país de um colapso nas áreas de saúde e sociais?

Em tempo, reivindicamos a revogação imediata da Emenda Constitucional (EC) 95/2016, que congelou investimentos públicos nas áreas da Saúde e Educação por 20 anos.

A Organização Mundial da Saúde (que completa 72 anos em 7 de abril), decretou que a pandemia é mundial e têm solicitado ajuda de emergência a fim de aperfeiçoar os sistemas de saúde, pagar médicos e enfermeiros e comprar equipamentos de proteção.

Precisamos pressionar o governo a liberar recursos para enfrentar o avanço do novo coronavírus, bem como enfrentar outras tantas epidemias que continuam prejudicando o país, como a dengue, o sarampo e o HIV/Aids.

Além disso, ressaltamos também a importância de fortalecer o Sistema Único de Saúde, o SUS, e políticas públicas de saúde, considerando que só assim será possível atender as necessidades da população. A saúde é um direito de todos. Nossa luta é por um SUS universal, inteiro e completo!

Nesta data, homenageamos o trabalho de quem está se arriscando para proteger – prevenir – a população, diminuindo o contágio deste vírus. Nosso reconhecimento por toda luta e empenho de todos esses profissionais que estão salvando vidas!

João Donizete Scaboli
Diretor do Departamento de Saúde do Trabalhador da FEQUIMFAR, Adjunto da Secretaria de Saúde e Segurança do Trabalho da Força Sindical, Membro do Conselho Nacional de Saúde (pela Força Sindical) e Diretor DIESAT