Dirigentes das centrais decidiram fazer uma campanha financeira entre suas entidades filiadas para dar início nesta sexta-feira (15) a uma campanha para arrecadar recursos para compra de oxigênio para o estado do Amazonas.

As seis principais centrais sindicais do país - Força Sindical, CUT (Central Única dos Trabalhadores), UGT (União Geral de Trabalhadores), CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e Nova Central - decidiram fazer uma campanha financeira entre suas entidades filiadas para dar início nesta sexta-feira (15) a uma campanha para arrecadar recursos para compra de oxigênio para o estado do Amazonas. 

Em reunião no início desta tarde, os presidentes da Força Sindical, Miguel Torres, da CUT , Sérgio Nobre, e da UGT, Ricardo Patah, formalizaram a iniciativa.

Desde quinta-feira (14), a cidade de Manaus, capital do estado, está sem oxigênio hospitalar em virtude do aumento da demanda provocado pela explosão de casos de Covid-19. O consumo do gás pelo menos triplicou nos últimos dias e, nas últimas 24 horas, a cidade usou o estoque disponível para 10 dias. 

O presidente da Força Sindical, Miguel Torres, ressalta a importância da iniciativa. “A crise econômica decorrente do Covid-19 é gravíssima e ainda será longa. Vamos fazer nossa parte”.

O líder sindical também lembra que as entidades sindicais intensificaram a luta por vacina para todos e extensão do auxílio emergencial. 

Com informações da CNN

 

As seis principais centrais sindicais do país - Força Sindical, CUT (Central Única dos Trabalhadores), UGT (União Geral de Trabalhadores), CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e Nova Central - decidiram fazer uma campanha financeira entre suas entidades filiadas para dar início nesta sexta-feira (15) a uma campanha para arrecadar recursos para compra de oxigênio para o estado do Amazonas. 

Em reunião no início desta tarde, os presidentes da Força Sindical, Miguel Torres, da CUT , Sérgio Nobre, e da UGT, Ricardo Patah, formalizaram a iniciativa.

Desde quinta-feira (14), a cidade de Manaus, capital do estado, está sem oxigênio hospitalar em virtude do aumento da demanda provocado pela explosão de casos de Covid-19. O consumo do gás pelo menos triplicou nos últimos dias e, nas últimas 24 horas, a cidade usou o estoque disponível para 10 dias. 

O presidente da Força Sindical, Miguel Torres, ressalta a importância da iniciativa. “A crise econômica decorrente do Covid-19 é gravíssima e ainda será longa. Vamos fazer nossa parte”.

O líder sindical também lembra que as entidades sindicais intensificaram a luta por vacina para todos e extensão do auxílio emergencial. 

Com informações da CNN