ScaboliCrédito: Fequimfar
João Scaboli, diretor do departamento de saúde do trabalhador da FEQUIMFAR, membro do CNS pela Força Sindical e diretor do DIESAT, destaca que todos os políticos devem ter compromisso com as políticas de saúde. “Nossa luta é para fortalecer as políticas na intersetorialidade saúde trabalhador e trabalhadora, saúde da mulher, do idoso, saneamento e meio ambiente, entre outros”, diz Scaboli. “Para que possamos assegurar melhores condições às futuras gerações, precisamos garantir um SUS Universal, Inteiro e Completo”.
 
O Conselho Nacional de Saúde (CNS) apresentou no dia 25 de setembro a Carta da Saúde Pública à População e aos Candidatos e Candidatas às Eleições Municipais no Brasil 2020. Este foi o tema de mais edição da live do CNS, nesta quarta-feira, dia 21 de outubro.
 
live-cns_21-10-2020-696x392
O objetivo foi debater sobre a importância do Sistema Único de Saúde (SUS) na vida de todas as pessoas e o papel do voto nos momentos de definição da democracia representativa. Para falar sobre isso, a live teve a presença do deputado Dr. Luizinho, presidente da Comissão de Enfrentamento do Coronavírus na Câmara dos Deputados, e do diretor jurídico da União dos Vereadores do Brasil (UVB), André Camillo. A mediação foi do presidente do CNS, Fernando Pigatto.
 
A Carta aborda um conjunto de propostas e orientações aos elegíveis e subsídios para que a população só dedique seu voto aos que tiverem comprometimento real com o SUS. O documento, de maneira propositiva, pede compromisso, dos candidatos e candidatas, com a Consolidação do SUS como eixo central das eleições municipais de 2020, ainda mais em contexto de pandemia de Covid-19 em um cenário de desfinanciamento desde 2016.
 
Leia a carta na íntegra
ScaboliCrédito: Fequimfar
João Scaboli, diretor do departamento de saúde do trabalhador da FEQUIMFAR, membro do CNS pela Força Sindical e diretor do DIESAT, destaca que todos os políticos devem ter compromisso com as políticas de saúde. “Nossa luta é para fortalecer as políticas na intersetorialidade saúde trabalhador e trabalhadora, saúde da mulher, do idoso, saneamento e meio ambiente, entre outros”, diz Scaboli. “Para que possamos assegurar melhores condições às futuras gerações, precisamos garantir um SUS Universal, Inteiro e Completo”.
 
O Conselho Nacional de Saúde (CNS) apresentou no dia 25 de setembro a Carta da Saúde Pública à População e aos Candidatos e Candidatas às Eleições Municipais no Brasil 2020. Este foi o tema de mais edição da live do CNS, nesta quarta-feira, dia 21 de outubro.
 
live-cns_21-10-2020-696x392
O objetivo foi debater sobre a importância do Sistema Único de Saúde (SUS) na vida de todas as pessoas e o papel do voto nos momentos de definição da democracia representativa. Para falar sobre isso, a live teve a presença do deputado Dr. Luizinho, presidente da Comissão de Enfrentamento do Coronavírus na Câmara dos Deputados, e do diretor jurídico da União dos Vereadores do Brasil (UVB), André Camillo. A mediação foi do presidente do CNS, Fernando Pigatto.
 
A Carta aborda um conjunto de propostas e orientações aos elegíveis e subsídios para que a população só dedique seu voto aos que tiverem comprometimento real com o SUS. O documento, de maneira propositiva, pede compromisso, dos candidatos e candidatas, com a Consolidação do SUS como eixo central das eleições municipais de 2020, ainda mais em contexto de pandemia de Covid-19 em um cenário de desfinanciamento desde 2016.
 
Leia a carta na íntegra