Frentistas de SP conquistam manutenção de direitos e encerram campanha salarialCrédito: Arquivo

Terminou a campanha salarial dos cem mil  trabalhadores em postos de combustíveis do  estado de São Paulo.  O acordo assinado na segunda-feira (19),  entre a Fepospetro, os   dezessete sindicatos filiados da entidade e as quatro patronais, encerra o impasse de oito meses causado pela pandemia de Coronavírus, durante o qual foram realizadas mais de vinte reuniões sobre o assunto além de diversas mobilizações nas redes sociais.

Para Luiz Arraes, presidente da Federação dos Frentistas de SP – Fepospetro – e também do Sinpospetro de Osasco, o resultado final é positivo:  “Na conjuntura em que a gente fez a campanha – de pandemia, crise econômica, desemprego e de um governo que ataca direitos dos trabalhadores –, conseguimos reajustar os salários e mantivemos todos os benefícios conquistados”, avalia.

O acordo firmado prevê   aumento de 3,92% nos salários e no vale-refeição, aplicável a partir de janeiro de 2021. O índice representa a reposição da inflação no período de 12 meses encerrado em março, data-base da categoria.  Garante ainda, até fevereiro de 2022, a permanência dos demais benefícios como cesta-básica, seguro de vida, desconto de somente 1% no vale-transporte entre outros.  No vídeo que gravou para as redes sociais da Fepospetro, Luiz Arraes  falou das dificultadas enfrentadas pela categoria e pelo movimento sindical como um todo, nos processos de negociações e destacou  os pontos positivos do acordo, como por exemplo  os  benefícios mantidos na Convenção Coletiva – ” fundamental para o trabalhador, ante a situação desfavorável e de incertezas pela qual estamos todos  passando -” , disse.   A Convenção Coletiva com os novos termos estará  disponível a partir da próxima semana,   nos canais digitais das  dezessete entidades filiadas da Fepospetro.

Frentistas de SP conquistam manutenção de direitos e encerram campanha salarialCrédito: Arquivo

Terminou a campanha salarial dos cem mil  trabalhadores em postos de combustíveis do  estado de São Paulo.  O acordo assinado na segunda-feira (19),  entre a Fepospetro, os   dezessete sindicatos filiados da entidade e as quatro patronais, encerra o impasse de oito meses causado pela pandemia de Coronavírus, durante o qual foram realizadas mais de vinte reuniões sobre o assunto além de diversas mobilizações nas redes sociais.

Para Luiz Arraes, presidente da Federação dos Frentistas de SP – Fepospetro – e também do Sinpospetro de Osasco, o resultado final é positivo:  “Na conjuntura em que a gente fez a campanha – de pandemia, crise econômica, desemprego e de um governo que ataca direitos dos trabalhadores –, conseguimos reajustar os salários e mantivemos todos os benefícios conquistados”, avalia.

O acordo firmado prevê   aumento de 3,92% nos salários e no vale-refeição, aplicável a partir de janeiro de 2021. O índice representa a reposição da inflação no período de 12 meses encerrado em março, data-base da categoria.  Garante ainda, até fevereiro de 2022, a permanência dos demais benefícios como cesta-básica, seguro de vida, desconto de somente 1% no vale-transporte entre outros.  No vídeo que gravou para as redes sociais da Fepospetro, Luiz Arraes  falou das dificultadas enfrentadas pela categoria e pelo movimento sindical como um todo, nos processos de negociações e destacou  os pontos positivos do acordo, como por exemplo  os  benefícios mantidos na Convenção Coletiva – ” fundamental para o trabalhador, ante a situação desfavorável e de incertezas pela qual estamos todos  passando -” , disse.   A Convenção Coletiva com os novos termos estará  disponível a partir da próxima semana,   nos canais digitais das  dezessete entidades filiadas da Fepospetro.