greve onibus BertiogaCrédito: Arquivo
Na foto, motoristas e demais empregados da viação Bertioga, com sindicalistas rodoviários, na tarde desta quarta-feira
O sindicato dos trabalhadores em transportes rodoviários de Santos e região tenta reverter a justa causa dos motoristas e demais empregados da viação Bertioga demitidos nesta quarta-feira (14).
 
O prefeito Caio Matheus (PSDB), por sua vez, em ‘live’ no Facebook, agora à noite, anunciou o encerramento das atividades da empresa e a contratação emergencial de uma substituta.
 
Segundo o vice-presidente José Alberto Torres Simões ‘Betinho’, o sindicato conversa com o prefeito para que a nova empresa contrate seus profissionais entre os demitidos.
 
Sobre as demissões, o sindicalista explica que o jurídico tenta, no TRT (tribunal regional do trabalho), reverter a justa causa, garantindo ao pessoal as verbas rescisórias, além dos salários e benefícios em atraso.
 
Trabalhadores chegam a chorar
 
Beto revela que a empresa demitiu cerca de 80% dos 160 empregados e que os comunicados foram feitos pelo WhatsApp. Muitos trabalhadores choraram ao receber a comunicação eletrônica.
 
A greve começou no final da tarde de sexta-feira (9). O sindicalista ressalta que os trabalhadores vêm há muito tempo atrasando aluguéis e contas de energia elétrica, água e alimentação.
 
Betinho lembra que, só neste ano, esta é a oitava paralisação pelo mesmo motivo. Desta vez, a empresa deve o adiantamento salarial de 20 de setembro, o vale-refeição do dia 25 e o salário de 6 de outubro.
greve onibus BertiogaCrédito: Arquivo
Na foto, motoristas e demais empregados da viação Bertioga, com sindicalistas rodoviários, na tarde desta quarta-feira
O sindicato dos trabalhadores em transportes rodoviários de Santos e região tenta reverter a justa causa dos motoristas e demais empregados da viação Bertioga demitidos nesta quarta-feira (14).
 
O prefeito Caio Matheus (PSDB), por sua vez, em ‘live’ no Facebook, agora à noite, anunciou o encerramento das atividades da empresa e a contratação emergencial de uma substituta.
 
Segundo o vice-presidente José Alberto Torres Simões ‘Betinho’, o sindicato conversa com o prefeito para que a nova empresa contrate seus profissionais entre os demitidos.
 
Sobre as demissões, o sindicalista explica que o jurídico tenta, no TRT (tribunal regional do trabalho), reverter a justa causa, garantindo ao pessoal as verbas rescisórias, além dos salários e benefícios em atraso.
 
Trabalhadores chegam a chorar
 
Beto revela que a empresa demitiu cerca de 80% dos 160 empregados e que os comunicados foram feitos pelo WhatsApp. Muitos trabalhadores choraram ao receber a comunicação eletrônica.
 
A greve começou no final da tarde de sexta-feira (9). O sindicalista ressalta que os trabalhadores vêm há muito tempo atrasando aluguéis e contas de energia elétrica, água e alimentação.
 
Betinho lembra que, só neste ano, esta é a oitava paralisação pelo mesmo motivo. Desta vez, a empresa deve o adiantamento salarial de 20 de setembro, o vale-refeição do dia 25 e o salário de 6 de outubro.