Repúdio ao crime de racismo em Porto Alegre
 
Em plena véspera do Dia da Consciência Negra, a morte de João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, espancado por "seguranças" de uma loja do Carrefour em Porto Alegre, revela que o racismo ainda é uma grave doença no Brasil, que resulta em inúmeras injustiças e crimes cruéis como este.
 
Expressamos nossa total solidariedade aos familiares e amigos de João Alberto, que teve sua vida e seus sonhos interrompidos pela estupidez criminosa de pessoas despreparadas emocionalmente para serem seguranças, esperamos que o Carrefour assuma sua parte de culpa neste triste episódio e que o racismo tenha um fim definitivo no Brasil.
 
Miguel Torres
presidente da Força Sindical, da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes
Repúdio ao crime de racismo em Porto Alegre
 
Em plena véspera do Dia da Consciência Negra, a morte de João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, espancado por "seguranças" de uma loja do Carrefour em Porto Alegre, revela que o racismo ainda é uma grave doença no Brasil, que resulta em inúmeras injustiças e crimes cruéis como este.
 
Expressamos nossa total solidariedade aos familiares e amigos de João Alberto, que teve sua vida e seus sonhos interrompidos pela estupidez criminosa de pessoas despreparadas emocionalmente para serem seguranças, esperamos que o Carrefour assuma sua parte de culpa neste triste episódio e que o racismo tenha um fim definitivo no Brasil.
 
Miguel Torres
presidente da Força Sindical, da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes