Sindicatos e Centrais realizaram nesta sexta (14) atos nas agências do INSS - Instituto Nacional de Seguridade Social - em diversas cidades brasileiras. As entidades cobram fim das filas, melhorias nos serviços, agilidade no atendimento e contratação de Servidores no INSS.
ATO FRENTE AO INSS GUARULHOS_14-02-2020_OMENA (1)Crédito: Cláudio Omena

Em Guarulhos, o protesto aconteceu em frente à agência de Vila Endres e reuniu metalúrgicos (diretores e assessores), químicos, servidores, vigilantes, têxteis, trabalhadores da alimentação, e dirigentes da Força Sindical e da CSB.

Devido sucateamento promovido pelo governo, faltam funcionários e infraestrutura, além do que o sistema implantado não funciona direito. A situação no INSS beira ao caos - há uma fila de dois milhões de segurados à espera da análise para obter aposentadoria ou outros benefícios garantidos em lei.

Precariedade - Durante a realização do ato, pouco mais de uma hora, cerca de 250 pessoas aguardavam pelo atendimento, por apenas sete Servidores.

Josinaldo José de Barros (Cabeça), vice dos Metalúrgicos, denuncia desfalque no quadro de funcionários do Instituto: “O Servidor está sendo sacrificado, pois precisa trabalhar em dobro pra atender a população e suprir a carência de pessoal. Quem também se prejudica é o segurado, com um atendimento precário”.

No encerramento do ato, sindicalistas entregaram documento ao coordenador da agência de Guarulhos, Henrique Toshiaki Nakamura, cobrando melhorias no atendimento. O documento será encaminhado a instâncias superiores do INSS.

ATO FRENTE AO INSS GUARULHOS_14-02-2020_OMENA (1)Crédito: Cláudio Omena

Em Guarulhos, o protesto aconteceu em frente à agência de Vila Endres e reuniu metalúrgicos (diretores e assessores), químicos, servidores, vigilantes, têxteis, trabalhadores da alimentação, e dirigentes da Força Sindical e da CSB.

Devido sucateamento promovido pelo governo, faltam funcionários e infraestrutura, além do que o sistema implantado não funciona direito. A situação no INSS beira ao caos - há uma fila de dois milhões de segurados à espera da análise para obter aposentadoria ou outros benefícios garantidos em lei.

Precariedade - Durante a realização do ato, pouco mais de uma hora, cerca de 250 pessoas aguardavam pelo atendimento, por apenas sete Servidores.

Josinaldo José de Barros (Cabeça), vice dos Metalúrgicos, denuncia desfalque no quadro de funcionários do Instituto: “O Servidor está sendo sacrificado, pois precisa trabalhar em dobro pra atender a população e suprir a carência de pessoal. Quem também se prejudica é o segurado, com um atendimento precário”.

No encerramento do ato, sindicalistas entregaram documento ao coordenador da agência de Guarulhos, Henrique Toshiaki Nakamura, cobrando melhorias no atendimento. O documento será encaminhado a instâncias superiores do INSS.