O Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública Municipal de Guarulhos - Stap - denuncia o prefeito Guti (PSD) face à contaminação e mortes de Servidores da Saúde que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus.
WhatsApp Image 2020-05-20 at 15.48.16

Em Nota Oficial, publicada nos jornais locais hoje (20), o Sindicato relata que, diversas vezes, se reuniu com a Prefeitura pra pleitear afastamento de Servidores da Saúde do grupo de risco e outros profissionais cujas funções os expõem a risco de adoecimento.

O Stap obteve várias vitórias judiciais para os Servidores, como fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual; produtos de higiene; afastamento de funcionários acima dos 60 anos, bem como dos portadores de doença crônica, além de gestantes e lactantes.

A Prefeitura, porém, resiste. Dia 5 de maio, reverteu decisão anterior e conseguiu afastar apenas os Celetistas, excluindo os Estatutários, que são maioria. Dois dias depois, ainda na Justiça, suspendeu o afastamento de todos os que trabalham nos serviços essenciais.

Por isso, inúmeros idosos, doentes e outros vulneráveis passaram a correr risco de vida. Dois trabalhadores morreram por causa da Covid-19. O Stap luta na Justiça, agora junto ao Tribunal Superior do Trabalho em busca dos afastamentos.

Presidente - Pedro Zanotti Filho, presidente do Sindicato, repudia a resistência do prefeito Guti em liberar Servidores. Nesta quarta (20), o Sindicato inspeciona repartições da Saúde. Pedro informa: “Faltam EPIs e outros meios de proteção. Estamos ouvindo os trabalhadores e acataremos a decisão dos companheiros”.

WhatsApp Image 2020-05-20 at 15.48.16

Em Nota Oficial, publicada nos jornais locais hoje (20), o Sindicato relata que, diversas vezes, se reuniu com a Prefeitura pra pleitear afastamento de Servidores da Saúde do grupo de risco e outros profissionais cujas funções os expõem a risco de adoecimento.

O Stap obteve várias vitórias judiciais para os Servidores, como fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual; produtos de higiene; afastamento de funcionários acima dos 60 anos, bem como dos portadores de doença crônica, além de gestantes e lactantes.

A Prefeitura, porém, resiste. Dia 5 de maio, reverteu decisão anterior e conseguiu afastar apenas os Celetistas, excluindo os Estatutários, que são maioria. Dois dias depois, ainda na Justiça, suspendeu o afastamento de todos os que trabalham nos serviços essenciais.

Por isso, inúmeros idosos, doentes e outros vulneráveis passaram a correr risco de vida. Dois trabalhadores morreram por causa da Covid-19. O Stap luta na Justiça, agora junto ao Tribunal Superior do Trabalho em busca dos afastamentos.

Presidente - Pedro Zanotti Filho, presidente do Sindicato, repudia a resistência do prefeito Guti em liberar Servidores. Nesta quarta (20), o Sindicato inspeciona repartições da Saúde. Pedro informa: “Faltam EPIs e outros meios de proteção. Estamos ouvindo os trabalhadores e acataremos a decisão dos companheiros”.