O programa Manhã Bandeirantes também ouviu Eusébio Luis Pinto Neto, presidente da Federação Nacional (Fenepospetro), alertou para as mais de 400 mil demissões e os riscos
datena - frentistas
O apresentador de rádio e TV, José Luiz Datena, é contra a emenda 18 do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), e defende o emprego dos 500 mil trabalhadores em postos de combustíveis no País.
 
A defesa foi feita nesta quinta (16), durante o programa Manhã Bandeirantes. Para Datena, “o Brasil já tem 16 milhões de desempregados e agora querem ainda tirar o emprego dos frentistas”. O apresentador argumenta que, se o deputado quer de fato baixar o preço final do combustível, ele deve lutar pela redução de impostos.
 
O programa também ouviu representantes dos trabalhadores. Eusébio Luis Pinto Neto, presidente da Federação Nacional (Fenepospetro), alertou para as mais de 400 mil demissões e os riscos. “Posto de combustível é local perigoso. Há riscos de incêndio, de contaminações e mesmo de assaltos. O frentista é treinado para operar a bomba. Já o usuário não tem esse treinamento”.
 
Reunião – As entidades de frentistas se reuniram no gabinete do deputado, em Brasília, terça (14), quando lhe solicitaram retirar a emenda. Federações e Sindicatos de todo o País também distribuem Carta Aberta aos frentistas e usuários de postos.
datena - frentistas
O apresentador de rádio e TV, José Luiz Datena, é contra a emenda 18 do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), e defende o emprego dos 500 mil trabalhadores em postos de combustíveis no País.
 
A defesa foi feita nesta quinta (16), durante o programa Manhã Bandeirantes. Para Datena, “o Brasil já tem 16 milhões de desempregados e agora querem ainda tirar o emprego dos frentistas”. O apresentador argumenta que, se o deputado quer de fato baixar o preço final do combustível, ele deve lutar pela redução de impostos.
 
O programa também ouviu representantes dos trabalhadores. Eusébio Luis Pinto Neto, presidente da Federação Nacional (Fenepospetro), alertou para as mais de 400 mil demissões e os riscos. “Posto de combustível é local perigoso. Há riscos de incêndio, de contaminações e mesmo de assaltos. O frentista é treinado para operar a bomba. Já o usuário não tem esse treinamento”.
 
Reunião – As entidades de frentistas se reuniram no gabinete do deputado, em Brasília, terça (14), quando lhe solicitaram retirar a emenda. Federações e Sindicatos de todo o País também distribuem Carta Aberta aos frentistas e usuários de postos.