Medida faz parte do processo de reestruturação da companhia, que inclui também a transferência de funcionários para a sua nova empresa de rede neutra, a V.tal
oi
A Oi extinguiu nesta semana 1.250 posições de trabalho, o equivalente a 11% do seu quadro funcionários. O número é a soma de 850 demissões e da extinção de 400 vagas que estavam em aberto. A medida faz parte do processo de reestruturação da companhia, que inclui também a transferência de funcionários para a sua nova empresa de rede neutra, a V.tal.
 
"Como parte do processo de transformação que vem sendo implementado desde 2019, a Oi segue realizando diversas ações de simplificação e eficiência de suas operações, incluindo ajustes em sua organização, de modo a buscar a sustentabilidade do negócio e refletir o novo perfil da companhia, mais leve, ágil e digital", escreve a companhia em seu comunicado enviado a Mobile Time.
 
A Oi informa que os colaboradores desligados receberam um pacote de benefícios além dos que estavam previstos em contrato, incluindo a prorrogação de plano de saúde, odontológico e seguro de vida, assim como uma parcela indenizatória atrelada ao tempo de casa.
 
Veja a seguir a íntegra do posicionamento da Oi sobre as demissões:
 
O Plano Estratégico de transformação da Oi tem foco na massificação de soluções digitais e conexões de fibra ótica no Brasil, visando a transformação da companhia para seguir atendendo, cada vez melhor, às atuais demandas por conexão, comunicação, informação e serviços digitais pela sociedade. Como parte do processo de transformação que vem sendo implementado desde 2019, a Oi segue realizando diversas ações de simplificação e eficiência de suas operações, incluindo ajustes em sua organização, de modo a buscar a sustentabilidade do negócio e refletir o novo perfil da companhia, mais leve, ágil e digital.
 
Diante dessa reestruturação, foi necessário adequar seu quadro funcional, com a otimização de processos, readequação de áreas e simplificação de tomada de decisão em todos os níveis, de maneira alinhada aos objetivos estratégicos da companhia. Essas mudanças resultaram no planejamento da migração de parte das equipes para a nova empresa de rede neutra, a V.tal, além da redução de cerca de 1.250 posições na estrutura da Oi, entre o fechamento de vagas e o desligamento de colaboradores e executivos, o que representa aproximadamente 11% do seu quadro funcional.
 
Entendendo que esse movimento pode ser feito com acolhimento e respeito aos profissionais e, mantendo o compromisso de cuidar das pessoas, foi estabelecido um pacote de benefícios para os colaboradores desligados que inclui prorrogação de plano de saúde, odontológico e seguro de vida, além de uma parcela indenizatória atrelada ao tempo de casa.
 
Conforme já divulgado em seu plano estratégico trianual (2022/ 2023/ 2024), a Oi reafirma que está concluindo uma das maiores transformações da história corporativa do país, com total foco na manutenção de suas operações e ciente do seu compromisso com a sociedade, clientes, profissionais e todos os participantes de seu ecossistema.
oi
A Oi extinguiu nesta semana 1.250 posições de trabalho, o equivalente a 11% do seu quadro funcionários. O número é a soma de 850 demissões e da extinção de 400 vagas que estavam em aberto. A medida faz parte do processo de reestruturação da companhia, que inclui também a transferência de funcionários para a sua nova empresa de rede neutra, a V.tal.
 
"Como parte do processo de transformação que vem sendo implementado desde 2019, a Oi segue realizando diversas ações de simplificação e eficiência de suas operações, incluindo ajustes em sua organização, de modo a buscar a sustentabilidade do negócio e refletir o novo perfil da companhia, mais leve, ágil e digital", escreve a companhia em seu comunicado enviado a Mobile Time.
 
A Oi informa que os colaboradores desligados receberam um pacote de benefícios além dos que estavam previstos em contrato, incluindo a prorrogação de plano de saúde, odontológico e seguro de vida, assim como uma parcela indenizatória atrelada ao tempo de casa.
 
Veja a seguir a íntegra do posicionamento da Oi sobre as demissões:
 
O Plano Estratégico de transformação da Oi tem foco na massificação de soluções digitais e conexões de fibra ótica no Brasil, visando a transformação da companhia para seguir atendendo, cada vez melhor, às atuais demandas por conexão, comunicação, informação e serviços digitais pela sociedade. Como parte do processo de transformação que vem sendo implementado desde 2019, a Oi segue realizando diversas ações de simplificação e eficiência de suas operações, incluindo ajustes em sua organização, de modo a buscar a sustentabilidade do negócio e refletir o novo perfil da companhia, mais leve, ágil e digital.
 
Diante dessa reestruturação, foi necessário adequar seu quadro funcional, com a otimização de processos, readequação de áreas e simplificação de tomada de decisão em todos os níveis, de maneira alinhada aos objetivos estratégicos da companhia. Essas mudanças resultaram no planejamento da migração de parte das equipes para a nova empresa de rede neutra, a V.tal, além da redução de cerca de 1.250 posições na estrutura da Oi, entre o fechamento de vagas e o desligamento de colaboradores e executivos, o que representa aproximadamente 11% do seu quadro funcional.
 
Entendendo que esse movimento pode ser feito com acolhimento e respeito aos profissionais e, mantendo o compromisso de cuidar das pessoas, foi estabelecido um pacote de benefícios para os colaboradores desligados que inclui prorrogação de plano de saúde, odontológico e seguro de vida, além de uma parcela indenizatória atrelada ao tempo de casa.
 
Conforme já divulgado em seu plano estratégico trianual (2022/ 2023/ 2024), a Oi reafirma que está concluindo uma das maiores transformações da história corporativa do país, com total foco na manutenção de suas operações e ciente do seu compromisso com a sociedade, clientes, profissionais e todos os participantes de seu ecossistema.