miguel torresCrédito: Jaélcio Santana
Se não forem tomadas as devidas providências, os números da covid-19 no Brasil, hoje com mais de 181 mil vidas perdidas pela doença, continuarão crescendo e causando muita aflição e dor entre nós.    
 
Devemos, então, insistir nas precauções: usando máscara, fazendo higienização constante, evitando aglomerações supérfluas e tendo, nos encontros sociais e familiares, em especial nas festas de final de ano, muita responsabilidade.
 
Responsabilidade, aliás, em falta no governo e nas posições do presidente a República - que continua negacionista, fazendo piadas sem graça alguma sobre o coronavírus e dizendo agora que a pandemia está no “finzinho”. 
 
Bolsonaro não tem o direito, mesmo sendo presidente, de tratar a vida das pessoas e das famílias com tamanho desrespeito e zombaria.
 
Sobre a vacinação, não importa a origem das vacinas. Se estiverem prontas e com eficiência comprovadas, elas precisam ser aplicadas com urgência. A pandemia impacta especialmente as pessoas pobres e socialmente mais vulneráveis. 
 
Exigir vacinação já para todos é, portanto, um movimento de cidadania, de esperança e de amor pela vida! Não tem como não ser. 
 
Vale destacar que enviamos na sexta-feira, 11 de dezembro, ofícios ao governador João Dória, ao prefeito Bruno Covas e ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disponibilizando as sedes da Força Sindical e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, no bairro da Liberdade, para a vacinação contra o coronavírus.
 
A subsede do Sindicato em Mogi das Cruzes e o Centro de Lazer de Praia Grande também ficarão à disposição das autoridades de Saúde. 
 
À medida que se precise dos espaços físicos de outras entidades sindicais, em todo o País, entraremos em contato com os nossos dirigentes. 
 
Nossa atuação não é só trabalhista, é também humanitária. Neste momento de persistente pandemia, devemos estar ainda mais unidos e solidários pela saúde e pela vida de todos.
 
A luta faz a lei!
 
Miguel Torres
Presidente da Força Sindical, da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes
miguel torresCrédito: Jaélcio Santana
Se não forem tomadas as devidas providências, os números da covid-19 no Brasil, hoje com mais de 181 mil vidas perdidas pela doença, continuarão crescendo e causando muita aflição e dor entre nós.    
 
Devemos, então, insistir nas precauções: usando máscara, fazendo higienização constante, evitando aglomerações supérfluas e tendo, nos encontros sociais e familiares, em especial nas festas de final de ano, muita responsabilidade.
 
Responsabilidade, aliás, em falta no governo e nas posições do presidente a República - que continua negacionista, fazendo piadas sem graça alguma sobre o coronavírus e dizendo agora que a pandemia está no “finzinho”. 
 
Bolsonaro não tem o direito, mesmo sendo presidente, de tratar a vida das pessoas e das famílias com tamanho desrespeito e zombaria.
 
Sobre a vacinação, não importa a origem das vacinas. Se estiverem prontas e com eficiência comprovadas, elas precisam ser aplicadas com urgência. A pandemia impacta especialmente as pessoas pobres e socialmente mais vulneráveis. 
 
Exigir vacinação já para todos é, portanto, um movimento de cidadania, de esperança e de amor pela vida! Não tem como não ser. 
 
Vale destacar que enviamos na sexta-feira, 11 de dezembro, ofícios ao governador João Dória, ao prefeito Bruno Covas e ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disponibilizando as sedes da Força Sindical e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, no bairro da Liberdade, para a vacinação contra o coronavírus.
 
A subsede do Sindicato em Mogi das Cruzes e o Centro de Lazer de Praia Grande também ficarão à disposição das autoridades de Saúde. 
 
À medida que se precise dos espaços físicos de outras entidades sindicais, em todo o País, entraremos em contato com os nossos dirigentes. 
 
Nossa atuação não é só trabalhista, é também humanitária. Neste momento de persistente pandemia, devemos estar ainda mais unidos e solidários pela saúde e pela vida de todos.
 
A luta faz a lei!
 
Miguel Torres
Presidente da Força Sindical, da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes